A Chuva De Meteoros dos Lírideos Nos Céus do Sul

lyridsbeletsky_nolabels


observatory_150105A chuva anual de meteoros dos Lírideos teve seu pico no dia 22 de Abril de 2014, à medida que o nosso planeta passou pela poeira da cauda do cometa de longo período Thatcher. Mesmo no céu seco e escuro do Deserto Atacama, ao longo da costa do Chile, a luz de uma Lua no quarto minguante fez o céu ficar brilhante o suficiente para que os meteoros mais apagados não fossem visíveis. Mas os meteoros mais brilhantes dos Lírideas puderam ser observados. A imagem acima que é na verdade uma composição com imagens do céu e da Terra, e que foi registrada nas primeiras horas da manhã, mostram os meteoros se afastando do radiante da chuva, localizado perto da estrela Veja, a estrela alfa da constelação de Lyra. O efeito de radiante se deve à perspectiva,  já que os rastros dos meteoros parecem convergir à grandes distâncias. As regiões ricas de estrelas e de nuvens de poeira da nossa própria Via Láctea se espalham pelo segundo plano da imagem.

lirideos_sul_anotada


Fonte:

http://apod.nasa.gov/apod/ap140424.html

alma_modificado_rodape105

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.