🚀Aprenda Astronomia no maior Curso de Astronomia do Brasil: https://academyspace.com.br/bigbang
VENHA PARTICIPAR DO CURSO DE ASTRONOMIA DO SPACE TODAY E GANHE O KIT DO ALUNO ATÉ DIA 10 DE FEVEREIRO

http://academyspace.com.br/bigbang

—————————————————–

ASSISTA O VÍDEO DA NED:

https://www.youtube.com/watch?v=ywmXvsHBBp4

——————————————————————–

VISITE A LOJA DO SPACETODAY:

https://www.spacetodaystore.com

——————————————————————–

SEJA MEMBRO DO SPACE TODAY E AJUDE COM A CRIAÇÃO DE CONTEÚDO SÉRIA NA ÁREA DE ASTRONOMIA:

https://www.patreon.com/spacetoday

https://apoia.se/spacetoday

https://www.youtube.com/channel/UC_Fk7hHbl7vv_7K8tYqJd5A/join

——————————————————————–

Esperamos ainda, que em algum momento em 2021, o Telescópio Espacial James Webb seja lançado.

Já fiz vários vídeos sobre esse grande telescópio espacial.

Ele terá aproximadamente 7 vezes o poder que o Hubble tem em coletar luz.

E isso é perfeito, pois lembre-se sempre, um telescópio nada mais é que um balde de luz, quanto mais luz um telescópio consegue coletar melhor ele é.

A diferença principal entre o Hubble e o James Webb é que o James Webb tem uma capacidade de observação no infravermelho, enquanto que o Hubble tem o seu poder de observação na luz visível.

Mas você já parou para pensar quais os recordes, o James Webb será capaz de quebrar? Lembrando que boa parte dos recordes na astronomia, e na astrofísica atualmente pertencem ao Hubble.

1 – A Galáxia Mais Distante

Começando com as galáxias, talvez o tipo de objeto principal que ambos os telescópios irão observar, atualmente o recorde pertence ao Hubble.

Ele observou a galáxia conhecida como GN-Z11, que existia apenas 407 milhões de anos depois do Big Bang.

Com a sua capacidade infravermelha, o James Webb será capaz de observar através do gás e da poeira que obscurece a visão do Hubble.

Com isso, os astrônomos acreditam que será possível observar galáxias que existiam a apenas 200 milhões de anos depois do Big Bang.

Ou seja, o ganho será de cerca de 200 milhões de anos.

2 – A atmosfera dos menores exoplanetas

Uma das grandes capacidades do Hubble é conseguir estudar a atmosfera de exoplanetas.

Atualmente, os astrônomos conseguem estudar a atmosfera de exoplanetas que têm o tamanho de Saturno e que orbitam estrelas parecidas com o Sol.

Com a capacidade ampliada do James Webb será possível observar a atmosfera de exoplanetas conhecidos como mini-Netuno ao redor de estrelas parecidas com o Sol, e de exoplanetas do tamanho da Terra ao redor de anãs vermelhas.

3 – As Primeiras Estrelas

No universo ainda existem as primeiras estrelas que surgiram no universo, são estrelas feitas só de hidrogênio e hélio e estão intocadas desde o Big Bang.

Como essas estrelas podem estar escondidas no meio de uma grande quantidade de poeira e gás, o James Webb terá a capacidade de observar e estudar essas estrelas.

4 – Imagem Direta dos Menores Exoplanetas

Essa é uma capacidade espetacular do James Webb.

O Hubble e outros telescópios conseguem fazer imagens diretas de exoplanetas, mas para isso precisam ser exoplanetas grandes, ao redor de estrelas pouco brilhantes.

O James Webb conseguirá fazer imagens diretas de exoplanetas menores ao redor de estrelas mais brilhantes.

Isso graças a um coronógrafo especial que ele irá levar para o espaço, que irá tampar a luz da estrela permitindo o imageamento dos exoplanetas.

Óbvio que além dessas 4 coisas, o James Webb nos trará grandes descobertas.

Aqui foram somente 4 recordes que muito provavelmente ele irá quebrar quando estiver no espaço.

A grande pergunta é, quando ele será lançado?

Estou lendo o relatório que foi feito sobre a situação dele, para fazer um vídeo para vocês, mas os engenheiros estão trabalhando com o mês de Julho de 2021.

Vamos aguardar e torcer, é o que nos resta.

Fonte:

https://www.forbes.com/sites/startswithabang/2020/02/10/4-cosmic-records-that-the-james-webb-space-telescope-should-shatter/#5bbdba711e1b

#JamesWebb #Hubble #SpaceToday
Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.