Kepler-62f++artist+conception+(credit,+NASA+Ames,+JPL-Caltech,+T.+Pyle)_mid

Kepler-62f Um Exoplaneta Que Poderia Suportar a Vida – Space Today TV Ep.263

Space Today
1 jun 2016

Kepler-62f++artist+conception+(credit,+NASA+Ames,+JPL-Caltech,+T.+Pyle)_mid

Um exoplaneta localizado a cerca de 1200 anos-luz de distância da Terra, tem as condições necessárias para sustentar a vida, de acordo com uma pesquisa feita por astrônomos das universidades da Califórnia e de Washington.

O Kepler-62F localiza-se na constelação de Lyra e é cerca de 40% maior do que a Terra. Esse exoplaneta foi descoberto em 2013, e ele é o exoplaneta mais externo dos cincos planetas que orbitam a estrela Kepler-62.

Na época da descoberta, não foram geradas informações sobre a composição, sobre a atmosfera, ou sobre a forma da órbita do Kepler-62F.

Desse modo, o grupo de astrônomos, estabeleceu vários cenários para o exoplaneta, cenários esses que variam a composição atmosférica e a forma da órbita, que foram simulados para determinar se o planeta poderia sustentar de alguma forma a vida como a conhecemos.

artigo_01

Devido ao tamanho o Kepler-62F se localiza no intervalo de exoplanetas definidos como rochosos e onde possivelmente existam oceanos.

A equipe de astrônomos rodou simulações computacionais do Kepler-62F considerando sua atmosfera com uma espessura parecida com a Terra até condições em que a atmosfera fosse 12 vezes mais espessa que a do nosso planeta.

Foram modeladas diferentes concentrações de dióxido de carbono na atmosfera, variando de uma quantidade parecida com a Terra, até um nível 2500 maior, além de terem simulados diferentes órbitas para o exoplaneta.

810

Para as simulações, os astrônomos usaram um modelo de órbita de exoplanetas, conhecido como HNBody, e modelos climáticos como o Community Climate System Model.

A partir dessas simulações os astrônomos encontraram cenários que permitiriam que o Kepler-62F fosse habitável, assumindo diferentes quantidades de dióxido de carbono na sua atmosfera. Além disso, para que o planeta fosse habitável durante toda a sua órbita, ele precisaria ter uma atmosfera entre 3 a 5 vezes mais espessa que a da Terra e composta inteiramente por dióxido de carbono.

Essa foi a primeira vez que os astrônomos combinaram resultados de diferentes tipos de modelos para estudar um exoplaneta.

Essa mesma técnica pode agora ser aplicada para se entender outros exoplanetas, o importante é a metodologia ter sido desenvolvida.

T he effect_of_orbital_configuration)_on_the_possible_climates_and_habitability_of_kepler_62f from Sérgio Sacani

Fonte:

http://www.wired.co.uk/article/super-earth-kepler-62f-could-support-life-and-is-just-1200-light-years-from-earth

alma_modificado_rodape105

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on Tumblr

Comentários