Artist’s impression of exoplanet orbiting two stars

Hubble Encontra Exoplaneta Em Sistema Binário Por Microlente Gravitacional

Space Today
22 set 2016

Users who have LIKED this post:

  • avatar

Artist’s impression of exoplanet orbiting two stars

Não é nenhuma novidade que existem planetas orbitando duas estrelas espalhados por todo o universo. Embora isso seja verdade, não são muitos os que foram detectados até hoje.

E a maior parte desses exoplanetas foram descobertos usando o Telescópio Espacial Kepler, que como devem saber utiliza um dos métodos de detecção, baseado no trânsito do planeta em frente à sua estrela.

Mas todos sabem que não é só esse método que se tem para detectar exoplanetas, existem muitos outros, e um dos mais interessantes, é o método que utiliza um evento de microlente gravitacional para encontrar exoplanetas.

extrasolar-planet-gravitational-microlensing

Esses eventos de microlentes gravitacionais são pequenas distorções causadas no espaço-tempo pelas estrelas e exoplanetas, como você deve imaginar não é uma técnica fácil de ser aplicada e por essa razão existe um projeto que só cuida disso, chamado de OGLE, ou Experimento Óptico de Lente Gravitacional.

Em 2007, o OGLE detectou um evento chamado de OGLE-2007-BLG-349, que na verdade era um exoplaneta orbitando uma estrela, porém as análises mostraram que deveria existir um terceiro objeto que não era óbvio nos dados.

O exoplaneta está localizado a 8000 anos-luz de distância da Terra, na direção do centro da Via Láctea, ele é um pouco menos massivo que Saturno e fica a uma distância equivalente ao do cinturão de asteroides do Sol no nosso Sistema Solar, levando 7 anos para orbitar suas estrelas.

a_01

Só agora, que utilizando os dados do Telescópio Espacial Hubble, os astrônomos puderam confirmar a existência da segunda estrela no evento de 2007. E com essa confirmação, esse evento, detectado entre 17000 outros eventos, torna-se o primeiro exoplaneta num sistema binário de estrelas detectado pela técnica da microlente gravitacional.

Essa descoberta abre um caminho novo no estudo de exoplanetas.

Enquanto o Kepler consegue encontrar somente planetas mais próximos de estrelas e com uma órbita relativamente estável, a técnica da microlente gravitacional permite detectar exoplanetas com órbitas mais distantes de suas estrelas.

Com isso, pode ser possível começar a se descobrir cada vez mais planetas em sistemas binários de estrelas, e confirmar assim o que muitos astrônomos acreditam, que existam muitos exoplanetas orbitando duas estrelas no universo.

Além disso, como o trabalho foi feito com o Telescópio Espacial Hubble, isso dá uma verdadeira nova luz a esse instrumento impressionante e essencial na astronomia moderna.

Fonte:

http://www.spacetelescope.org/news/heic1619/?lang

Artigo:

http://www.spacetelescope.org/static/archives/releases/science_papers/heic1619/heic1619a.pdf

alma_modificado_rodape105

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on Tumblr

Comentários