WISE Registra Imagem Importante do Hartley 2 Para Ajudar a Missão do EPOXI em Novembro de 2010

O satélite da NASA Wide-field Infrared Survey Explorer, ou WISE capturou uma rápida imagem do cometa que a missão EPOXI também da NASA irá visitar em Novembro de 2010. A observação do WISE irá ajudar a equipe do EPOXI a fazer de maneira conjunta uma imagem em grande escala do cometa conhecido como Hartley 2.

“A visão infravermelha do WISE fornece dados que complementam o EPOXI irá ver em luz visível e no infravermelho próximo, comprimentos de onda que seus instrumentos são sensíveis”, disse James Bauer, do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena na Califórnia. “Fazendo uma analogia é como se o WISE pudesse fazer uma imagem de um país inteiro enquanto que o EPOXI irá visitar somente a capital desse país”.

A visão infravermelha do WISE irá permitir ao telescópio fazer uma estimativa sobre o tamanho do núcleo do cometa, bem como observar com mais precisão e estimar também o tamanho das partículas de poeira que viajam ao redor do cometa. Essa informação, quando combinada com os dados que o EPOXI irá captar quando chegar perto do cometa Hartley 2, irá revelar como o cometa sofre alteração ao longo do tempo.

Em 4 de Novembro de 2010, a missão EPOXI, que usa a sonda já em vôo Deep Imapct irá alcançar sua menor distância do cometa Hartley 2. A sonda irá examinar o corpo gelado e empoeirado em detalhe à medida que sobrevoar o cometa, fornecendo a melhor, visão de que a humanidade já teve de um cometa em sua história. O WISE e outros grandes telescópios baseados em Terra e também no espaço irão também participar desse esforço observacional trabalhando em conjunto para tentar solucionar alguns mistérios do nosso sistema solar que viajam congelados dentro dos cometas.

Para os astrônomos amadores será possível observar o cometa através do mês de Outubro. Na quarta-feira, dia 20 de Outubro, o Hartley 2 irá alcançar sua menor distância da Terra desde que foi descoberto em 1986. O cometa estará a aproximadamente 17.7 milhões de quilômetros da Terra e poderá ser observado a olho nu perto da constelação de Perseus se visto em locais que proporcionam um céu escuro. Observadores necessitaram utilizar binóculos ou telescópios para observar o cometa em áreas urbanas no hemisfério norte. No hemisfério sul os observadores poderão observar o cometa no final de Outubro de 2010.

O WISE capturou essa imagem do cometa durante a sua rotina de vasculhar o céu em luz infravermelha. A missão tem estado ocupada catalogando centenas de milhões de objetos, desde cometas até galáxias distantes e poderosas. No final de Setembro de 2010, ele esgotou todo o seu líquido que mantinha os instrumentos em temperaturas congelantes  como era esperado e iniciou uma nova fase da sua pesquisa. Chamada de NEOWISE Post-Cryogenic Mission, seu objetivo principal é encontrar asteróides adicionais e cometas. Até o momento o WISE já observou mais de 150000 asteróides e 110 cometas incluindo o Hartley 2.

“Os astrônomos podem referenciar ao nosso catálogo para obter informações em infravermelho detalhadas sobre seu asteróide ou cometa favorito”, disse Amy Mainzer, o principal pesquisador do NEOWISE no JPL. “Missões espaciais podem também usar nossas observações para obter mais informações sobre os seus alvos, como o EPOXI está fazendo”.

A imagem do Hartley 2 foi feita pelo WISE me 10 de Maio de 2010. Ele deu aos astrônomos uma visão única do cometa, complementando o que os telescópios já estavam vendo. Pelo fato do WISE vasculhar todo o céu, ele capturou a imagem mais extensa até hoje da cauda do Hartley 2, essa cauda é na realidade o rastro de poeira deixado pelo cometa quando passa ao redor do Sol.

Bauer diz, “Nós queremos saber como o cometa se comporta à medida que ele se dirige para longe do Sol e se congela novamente. A imagem do WISE é um dos pedaços críticos desse quebra-cabeça que irá nos dar uma visão de como o cometa se comporta com o passar do tempo”.

O cometa começou a mostrar sinais de atividade na primavera expelindo gás e poeira. Em Julho, existiam claros jatos de gás. “comparando a poeira que observamos anteriormente com o que o EPOXI irá observar nos ajudará a entender como a atividade iniciou no Hartley 2”, disse Michael A’Hearn, o investigador principal do EPOXI que fica baseado na Universidade de Maryland no College Park.

O termo EPOXI é a combinação de duas missões que forma estendidas e combinadas: a Extrasolar Planet Observations and Characterization (EPOCh) e a missão Deep Impact eXtended Investigation (DIXI). O nome NEOWISE se origina da combinação da missão WISE com o acrônimo para near-Earth object NEO.

Fonte:

http://www.jpl.nasa.gov/news/news.cfm?release=2010-324&cid=release_2010-324&msource=w20101005&tr=y&auid=7110981

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.