fbpx

Violento Episódio De Formação de Estrela É Registrado Pelo Hubble Em Galáxia Irregular

O Telescópio Espacial Hubble das agências espaciais NASA e ESA conseguiu fazer uma imagem da apagada e irregular galáxia NGC 3738, uma galáxia de explosão de estrela. A galáxia está atravessando um violento episódio de formação de estrelas, durante o qual ela está convertendo reservatórios de gás hidrogênio no centro da galáxia em estrelas. O Hubble registrou o gás brilhante ao redor da NGC 3738, um dos sinais mais distintos de que a formação de estrelas está acontecendo.

Localizada na constelação da Ursa Major (O Grande Urso), a NGC 3738 está localizada a aproximadamente 12 milhões de anos-luz de distância do Sol, e pertence ao Grupo de Galáxia Messier 81. Essa galáxia, observada pela primeira vez por William Herschel em 1789, é um exemplo de uma anã compacta azul, o tipo de galáxia de explosão de estrelas mais apagado que existe. As anãs compactas azuis são pequenas se comparadas com as grandes galáxias espirais, a NGC 3738 tem aproximadamente 10000 anos-luz de diâmetro, ou seja, algo em torno de um décimo do tamanho da Via Láctea.

Esse tipo de galáxia é azul em aparência devido ao fato de conter grandes aglomerados formados por estrelas quentes e massivas, que ionizam o gás interestelar ao seu redor com sua intensa radiação ultravioleta. Eles são relativamente apagados e aparecem de forma irregular. Diferente das galáxias espirais e elípticas, as galáxias irregulares não possuem feições distintas como um bulbo central ou braços espirais. Ao invés disso, elas são extremamente caóticas em aparência. Essas galáxias são pensadas como sendo parte sobrevivente das primeiras galáxias que se formaram no universo e podem assim, fornecer pistas sobre como as estrelas apareceram logo depois do Big Bang.

A imagem acima foi criada combinando imagens em luz visível e em infravermelho feitas com o Wide Field Channel da Advanced Camera for Surveys a bordo do Telescópio Espacial Hubble. O campo de visão do Wide Field Channel é de aproximadamente 3.4 por 3.4 arcos de minutos.

Fonte:

http://www.spacetelescope.org/images/potw1243a/

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .