fbpx

Ventos Solares Arrancam Partículas da Atmosfera de Marte

Físicos espaciais da Universidade de Leicester fazem parte de uma equipe internacional que identificou o impacto do Sol na atmosfera de Marte.

Em um artigo no Geophysical Research Letters, os cientistas relataram que Marte perde constantemente parte de sua atmosfera para o espaço.

Os novos estudos mostram que a pressão do vento solar tem uma contribuição significante para o escape da atmosfera marciana.

Os pesquisadores analisaram dados de vento solar e observações de satélite que medem o fluxo de íons que deixam a atmosfera de Marte. Com isso os autores encontraram que a atmosfera de Marte não perde de maneira constante material para o espaço, mas sim que essa perda ocorre em explosões.

Os pesquisadores correlacionaram essas perdas de atmosfera por explosões aos eventos solares conhecidos como regiões de interação da coroa (CIRs). Os CIRsse formam quando regiões de vento solar rápido encontram ventos solares mais lentos, criando um pulso de alta pressão. Quando esses pulsos de CIRs passam por Marte, eles carregam partículas da atmosfera de Marte.

Os autores encontraram que durante as vezes quando esses CIRs ocorrem, o fluxo das partículas atmosféricas de Marte eram 2.5 vezes maiores quando esses eventos não ocorrem. Além disso, em torno de um terço do material perdido por Marte para o espcaço é perdido durante o impacto e a passagem dos CIRs.

Esse estudo deve ajudar os cientistas a entender melhor a evolução da atmosfera de Marte.

O Professor Mark Lester, Chefe do Departamento de Física e Astronomia da Universidade de Leicester disse: “A principal razão para isso acontecer em Marte e não na Terra é que em Marte não existe um campo magnético produzido pelo planeta que protege a atmosfera da Terra”.

“Outro aspecto deste trabalho é que as observações foram feitas durante um período calmo de atividade solar nos onze anos do ciclo solar e eles podem esperar que o efeito dessas e outras perturbações de grande escala  seja maior em outros momentos do ciclo solar”.

O papel da Universidade de Leicester nesse estudo foi analisar os dados usando idéias que os pesquisadores acadêmicos tiraram das discussões dentro do Radio and space Plasma Physics Research Group.

Os dados usados foram principalmente obtidos da missão da ESA, Mars Express, embora o estudo também use dados da missão da NASA chamada ACE.

Fonte:

http://www2.le.ac.uk/ebulletin/news/press-releases/2010-2019/2010/03/nparticle.2010-03-12.7962778155?searchterm=Mars%20wind%20pressure

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .