Vazios Sublunares – O Que a Correta Geometria Entre a LRO, o Sol e a Lua Podem Revelar

Desde que a sonda LRO completou um ciclo completo de imageamento lunar a cada mês, é possível seguir as descobertas e alvos que são imageados várias vezes sob diferentes condições de iluminação. A equipe da LROC esperou pacientemente para que a posição do Sol e órbita da sonda se posicionassem de modo que a região das Colinas Marius mostrasse sua parte mais inferior onde anteriormente havia sido imageada a parede de um buraco que no ângulo correto de se mostra na verdade como um tubo de lava aberto que se estende horizontalmente. A sonda estava desviada 43 gruas para leste e o ângulo de incidência do Sol era de 34 graus com a vertical.

Nessa geometria, a NAC foi capaz de obter uma imagem de alguns metros abaixo do buraco anteriormente descoberto. Será que os astronautas algum dia terão a oportunidade de explorar o subterrâneo dos mares lunares? O que se espera descobrir de cientificamente concreto dentro de feições vazias sublunares  como essa?

Nessa geometria, a NAC foi capaz de obter uma imagem de alguns metros abaixo do buraco anteriormente descoberto. Será que os astronautas algum dia terão a oportunidade de explorar o subterrâneo dos mares lunares? O que se espera descobrir de cientificamente concreto dentro de feições vazias sublunares  como essa?

Fonte:

http://lroc.sese.asu.edu/news/index.php?/archives/337-Sublunarean-void!.html

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo