fbpx

Uma Visão um Pouco Diferente de Uma Região Bem Conhecida da Lua

Observar a Lua por diferentes ângulos nos leva a descobrir coisas diferentes. Nós normalmente observamos imagens da área da cratera Copernicus com o norte para cima ou com o sul para cima. Mas a primeira coisa que se pode notar ao observar essa região com o oeste para cima é a faixa de colinas que a cortam de cima abaixo, com os mares à direita e à esquerda. Tudo bem, nós sabemos que o Mare Imbrium está ao norte da grandiosa Copernicus e vários pedaços de mares estão ao sul, mas o que essa imagem enfatiza é que a faixa de colinas. Ela é constituída de duas partes. Imediatamente ao redor da Copernicus estão os blocos de material ejetado para fora da cratera a aproximadamente um bilhão de anos atrás. Mas a faixa mais larga de montanhas e colinas começa nas Montanhas Carpathian, o anel da Bacia Imbrium, e progressivamente se tornam colinas menores e mais dispersas ao sul. Essa é uma bela seção de afinamento de cobertura de material ejetado. Para o sul os detritos de material ejetado são tão pequenos que a maior parte deles foi coberta por derramamentos de lavas posteriores.

Fonte:

https://lpod.wikispaces.com/August+10%2C+2011

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .