Uma Antena Solitária do ALMA Escutando a Imensidão do Universo

Esta Foto da Semana parece nos mostrar uma antena solitária a vasculhar os céus. Na realidade, esta antena não se encontra de modo algum sozinha, mas faz parte do Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA), uma rede composta por 66 antenas de alta precisão espalhadas pelo planalto do Chajnantor, nos Andes chilenos. A imagem nos mostra uma visão multicolorida do céu que cobre o ALMA: o brilho verde da luminescência atmosférica por cima do horizonte, a Grande Nuvem de Magalhães logo atrás da antena e a Via Láctea estendendo-se ao longo de todo o céu.

Estas antenas estão preparadas para coletar radiação nos comprimentos de onda do milímetro (entre o infravermelho e as ondas rádio), o que permite ao ALMA obter uma imagem do Universo muito diferente da nossa. Os olhos humanos se desenvolveram para ver radiação visível, enquanto o ALMA vê o cosmos em comprimentos de onda maiores, coletando a radiação emitida por alguns dos objetos mais frios do Universo — nuvens densas de formação estelar, discos de restos em torno de estrelas recém-nascidas, galáxias distantes, entre outros. O ALMA consegue investigar estes objetos com uma sensibilidade e resolução sem precedentes. A rede observou anéis de Einstein, obteve imagens de discos protoplanetários e detectou moléculas orgânicas nestes discos, sugerindo que o Sistema Solar pode não ser único na sua capacidade de promover a vida.

Crédito:

ESO/P. Horálek

Fonte:

https://www.eso.org/public/brazil/images/potw2118a/

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.