Um Sinal Brilhante Incomum Numa Galáxia Espiral Próxima

A imagem acima, foi feita pelo Telescópio Espacial Hubble das Agências Espaciais NASA e ESA, mostra uma visão detalhada dos braços espirais em um dos lados da Messier 99. A Messier 99 é uma galáxia espiral chamada de grande projeto, com longos e grandes braços espirais claramente bem definidos, dando a ela uma estrutura parecida com a Via Láctea.

Localizada a aproximadamente 50 milhões de anos-luz de distância, a Messier 99 é uma das mais de mil galáxias que constituem o Aglomerado de Galáxias Virgo, o aglomerado de galáxias mais próximo de nós. A Messier 99 por si só é relativamente brilhante e grande, significando que ela foi uma das primeiras galáxias a serem descobertas, no século 18. Isso pode ser comprovado pela entrada dela no famoso catálogo de objetos astronômicos construído por Charles Messier.

Nos anos recentes, um grande número de fenômenos sem explicação na Messier 99 têm sido estudados pelos astrônomos. Entre eles está a natureza de uma das estrelas mais brilhantes observada nessa imagem. Catalogada como PTF 10fqs, e visível como sendo uma estrela amarelo-laranjada no canto superior esquerdo da imagem, ela foi pela primeira vez detectada pelo Palomar Transient Facility, que rastreia o céu atrás das mudanças repentinas de brilho, ou seja, fenômenos transientes como chamam os astrônomos. Essa denominação pode ser usada para diferentes tipos de eventos, incluindo estrelas variáveis e explosões de supernovas.

O que é incomum sobre a PTF 10fqs é que ela tem desafiado os sistemas de classificação, ela é mais brilhante que uma nova (uma brilhante erupção na superfície de uma estrela), mas é mais apagada do que uma supernova (a explosão que marca o final da vida de uma estrela grande). Os cientistas têm oferecido uma grande quantidade de explicações para isso incluindo a intrigante sugestão de que ela poderia ser um planeta gigante mergulhando em sua estrela mãe.

Essa imagem do Hubble foi feita em 2010, durante o período quando a explosão estava se apagando assim sendo, a localização da PTF 10fqs pôde ser apontada com grande precisão. Essas medidas permitirão que outros telescópios vasculhem o local da estrela no futuro mesmo quando os resquícios da explosão se apagarem totalmente.

Fonte:

http://www.spacetelescope.org/images/potw1223a/

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.