UM NOVO TIPO DE EXPLOSÃO NO UNIVERSO | SPACE TODAY TV EP2227

ENTRE NO GRUPO VIP DO SPACE TODAY PARA A MEGA PROMOÇÃO DO CURSO DE ASTRONOMIA, DESSA VEZ TEM BRINDE DA SPACE TODAY STORE:

https://spacetoday.com.br/grupovip

VENHA SE AQUECER NESSE INVERNO NA SPACE TODAY STORE:

https://www.spacetodaystore.com/produtos/blusao-canguru-crew-dragon-demo-2-vermelho/

LINK PARA A LIVE AO VIVO..HAHAHA…DA SEGUNDA TENTATIVA DE LANÇAMENTO DA CREW DRAGON DEMO 2:

https://www.youtube.com/watch?v=IZa7JhnpNfc

Quando a gente fala de explosões no universo, algumas logo veem na nossa mente.

Podemos lembrar das supernovas, das FRBs, das GRBs, a nova também pode ser considerada um tipo de explosão.

O universo é um lugar violento, onde os objetos estão nascendo e morrendo o tempo todo, e normalmente a morte está relacionada com algum tipo de explosão.

À medida que a tecnologia avança é possível estudar cada vez mais e melhor essas explosões do universo.

Em 2018, os astrônomos registraram algo inteiramente novo, uma explosão que até hoje se tenta entender, ela foi apelidada de The Cow, pelos astrônomos.

Muito provavelmente essa explosão aconteceu por conta da explosão de uma grande estrela e deu origem a um buraco negro.

Os astrônomos até pensaram que era ela um evento único no universo, até que eles encontraram mais duas explosões, uma delas apelidada de The Koala, que tinham características semelhantes com a The Cow.

Ao analisar as características das explosões, os astrônomos perceberam que estavam diante de um tipo completamente novo de explosão no universo.

Os cientistas chamaram essas explosões de Fast Blue Optical Transients ou FBOTs.

Essas explosões, provavelmente começam de forma parecida com um tipo de supernova e explosões de raios-gamma, ou seja, uma estrela de grande massa explode, a diferença está no depois.

Em uma supernova conhecida como de colapso de núcleo, a explosão emite uma onda de choque esférica de material para o meio interestelar.

Pode ser que além disso se forme um disco em rotação ao redor, o chamado disco de acreção e esse disco emite jatos que geram as explosões de raios-gamma.

No caso das FBOTs algo parecido, porém diferente acontece, nesse caso, as explosões são encobertas por um material espesso.

Esse material foi provavelmente expelido pela estrela momentos antes de explodir.

Quando esse material é atingido pela onda de choque da explosão é gerado um brilho na luz visível logo depois da explosão que faz com que esses objetos sejam incomuns.

À medida que a onda de choque viaja e colide com o material, ela produz emissões de rádio, e foram essas emissões que foram as pistas para os astrônomos poderem reconstruir a explosão.

Isso é o que os astrônomos sabem até o momento, mas muitas dúvidas ainda existem.

Qual o papel dessa explosão na evolução das estrelas?

Qual tipo de estrela gera esse tipo de explosão?

E como separar melhor essas explosões de supernovas ou emissões dos discos de acreção de buracos negros?

Tudo isso e muito mais só será respondido com mais observações de FBOTs.

Por enquanto, coloque aí na sua lista mas um nome no vasto e interminável zoológico cósmico.

Fontes:

https://public.nrao.edu/news/new-class-cosmic-explosions/

https://arxiv.org/pdf/2003.01222.pdf

#FBOTS #NEWEXPLOSION #LAUNCHAMERICA #SPACETODAY

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo