Um Nômade Cósmico Entre Gigantes

Pode não ser tão famoso como o Cometa de Halley, mas o Cometa 252P/LINEAR consegue ser também bastante espetacular! No final do mês de março de 2016, este cometa fez uma das maiores aproximações à Terra, de todos os cometas da história — atingindo uma distância de um pouco mais de 5,3 milhões de quilômetros, comparada com a maior aproximação do Halley de 87 milhões de quilômetros. A luz do Cometa 252P/LINEAR não se mostra alongada na clássica cauda dos cometas, se apresentando como um brilho redondo suave, pintado de verde devido a moléculas de carbono diatômico fluorescentes à luz do Sol. Esta imagem, tirada em abril de 2016, captura o cometa distintamente verde: podemos localizá-lo logo acima da Via Láctea, entre o arco estrelado da Galáxia e o Telescópio Principal do Very Large Telescope (VLT) situado mais à esquerda na imagem.

O VLT do ESO situa-se no Observatório do Paranal no Chile, um sítio ideal para encontrar cometas. O Paranal é um dos melhores observatórios do mundo, situado no deserto do Atacama sob os céus escuros do Hemisfério Sul. Mas cometas não são os únicos tesouros visíveis neste céu: a Via Láctea encena o seu próprio espetáculo noturno, com nuvens interestelares ricas adornadas de estrelas. Vemos também as diversas cores da luminescência atmosférica a brilhar perto do horizonte, além de dois planetas no céu. Nesta imagem, os planetas formam um triângulo um pouco distorcido que inclui a estrela supergigante vermelha Antares, com o brilho de Marte à esquerda e o intenso brilho esbranquiçado do gigante gasoso Saturno por baixo.

Fonte:

https://www.eso.org/public/brazil/images/potw2107a/

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo