Um Homem da Lua é Homenageado em Marte

Valdemar Axel Firsoff foi um autor bem prolífico e um virtuoso astrônomo amador inglês que escreveu muitos livros sobre a Lua: Moon Atlas (1961), The Surface of the Moon (1961), Strange World of the Moon (1962) e The Old Man and The New (1969). Esses livros foram escritos para astrônomos amadores e eram exemplos representativos da escola britânica de 1960 e 1970 que considerava em larga escala que as crateras lunares eram vulcânicas e para Firsoff e alguns outros, era possível que alguma forma de vegetação pudesse existir na Lua. A Lua de Firsoff era na verdade um mundo estranho. Mas desde o último mês o nome de Firsoff está imortalizado em uma cratera com 90 km de largura em Marte. Por que Firsoff está em Marte? Firsoff escreveu dois livros sobre Marte:  The World of Mars (1969) e The New Face of Mars (1982). Assim, Firsoff cumpriu os requerimentos necessários impostos pela IAU como sendo um escritor que contribuiu para a sabedoria de Marte. Se fosse observar o mapa aqui reproduzido, que mostra todas as nomenclaturas para essa determinada área, verá que um grande número de crateras com tamanhos consideráveis ainda não possuem nome. De fato, embora Marte tenha uma área superficial muito maior que a da Lua, ele só tem 992 crateras com nomes contra as 1595 crateras lunares. A razão para essa falta de nome é que as crateras de Marte não podem ser observadas desde a Terra, e por esse motivo os nomes foram dados somente com uma proposta cartográfica e científica. Em contraste a isso, a face visível da Lua, tem a maioria de suas feições morfológicas denominadas a partir de uma sucessão de pessoas que fizeram mapas da Lua e foram adicionando cada vez mais nomes. Em adição aos nomes da Lua, existem mais de 7000 crateras designadas por letras, por exemplo, a Copernicus H, fazendo com que a Lua tenha uma densa rede de nomes. As designações por letras não são usadas em nenhum outro corpo celeste do Sistema Solar, assim à medida que os pesquisadores estudam mais e mais feições menores eles cobrirão todo o alfabeto. O sistema de nomes e de letras utilizado na Lua é muito útil, isso faz com que os geradores de mapas lunares consigam colocar todas as denominações no mapa isso fornece uma informação de localização para as crateras designadas por letras.

Fonte:

http://lpod.wikispaces.com/December+14,+2010

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo