fbpx

Um Fantasma Colorido na Lua

Como um fantasma coberto num lençol, uma marca cinza vaga parece fluir desde sudeste através da cratera Lamont. A parte inferior desse lençol marca a fronteira com cadeias menores de mares embora a massiva cadeia perto da Sabine se estenda além dela. Virando para o norte, a borda brilhante segue um ponto de inflexão na topografia da superfície, para oeste o talude segue para baixo para leste e se eleva na área brilhante. No lado nordeste oposto, da cratera Lamont a fronteira é muito mais nítida sob uma alta iluminação, parecendo mais áspera quando o Sol está baixo. Todas as cadeias nesse lado nordeste cruzam através da fronteira de albedo. No lado sul e sudoeste parece que um mar de lava mais escuro é imposto sobre um mais claro e essas lavas mais escuras são mais jovens. Isso pode significar que a variação de brilho não se deve ao material parecido com raio. Um antigo mosaico colorido feito pela sonda Clementine mostra que as lavas claras e escuras têm diferentes cores e então diferentes composições.  

Fonte:

http://lpod.wikispaces.com/July+31%2C+2012

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .