fbpx
24 de fevereiro de 2024

Traçando A Origem Dos Raios na Cratera Tycho da Lua


Para entendermos a imagem acima, é preciso voltar na imagem publicada aqui nesse blog ontem, que é reproduzida abaixo. Essa imagem mostra a cratera Tycho e seus raios e acima a imagem está interpretada. Como mostra o diagrama acima, alguns raios da cratera (representados pelas linhas vermelhas) convergem em dois pontos (os pontos vermelhos) dentro da cratera. Isso é interessante e muito provável. Pode ser que o material ejetado no momento do impacto que formou a cratera Tycho tenha sido enviado em diferentes direções a partir de um mesmo ponto. Duas outras linhas (mostradas em amarelo), convergem para um ponto (o ponto amarelo) que se localiza fora do anel da cratera Tycho. Isso já é um pouco mais peculiar pois o não foi provavelmente ejetado dali. Mas se sabe já há algum tempo que alguns raios das crateras Tycho, Copernicus e outras são tangenciais a seus anéis. Claro, os detalhes de por que isso acontece não são certos, mas isso acontece mesmo. O que o pesquisador que gerou essa interpretação fez aqui foi explorar um novo método de olhar com mais detalhe os locais de onde se originam os raios. Muito provavelmente no começo da década de 1960, o pesquisador Shoemaker fez isso para a cratera Copernicus, porém com as imagens de melhor qualidade a que temos acesso hoje temos a possibilidade de aprender muito mais sobre isso. Talvez o pesquisador que começou esse trabalho continue identificando a origem dos raios para confirmar várias teorias. Além disso, existem de fato, muitas outras crateras com raios onde esse tipo de trabalho pode ser feito.

Fonte:

https://lpod.wikispaces.com/December+15%2C+2011


Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo