Tempestade de Poeira no Alasca

Tempestades de poeira geralmente nos lembram lugares como o Deserto do Sahara, a Península Arábica, mas as tempestades de poeira também ocorrem nas altas latitudes. Uma dessas tempestades lançou correntes de poeira sobre o Golfo do Alaska na metade de Novembro de 2010. O instrumento Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer (MODIS) a bordo do satélite Terra da NASA registrou essa imagens em cores naturais no dia 17 de Novembro de 2010. Finas plumas de poeira são levadas para longe da costa do Alaska na direção sul-sudoeste. De forma bruta imitando a forma das plumas de poeira, linhas paralelas de nuvens ocorrem mais ao sul sobre o oceano.

O Malaspina, é apenas uma das muitas geleiras que formam franjas na costa do Alaska. À medida que as geleiras trituram as rochas, os rios de gelo pulverizam alguma parte dessa rocha dentro do pó glacial. A água proveniente do degelo percola através das geleiras depositando o pó glacial nas planícies lamosas. Quando os sedimentos nessas planícies secam, os ventos carregam essas partículas.

As ruas de nuvens na parte sul fazem sombra nas plumas de poeira abaixo. Correndo na mesma direção, como as plumas de poeira, elas provavelmente são deformadas pelos mesmos ventos.

Fonte:

http://earthobservatory.nasa.gov/NaturalHazards/view.php?id=47082

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo