fbpx

Telescópio Espacial Herschel Descobre Tubo de Gás Denso Contorcido no Centro da Via Láctea

Novas observações feitas com o Observatório Espacial Herschel mostra um anel denso de gás bizarro e contorcido no centro da Via Láctea. Somente poucas porções do anel, que se estende por mais de 600 anos-luz de distância eram conhecidas antes. A imagem do Herschel revela o anel inteiro pela primeira vez, e um estranho elo que tem feito os astrônomos esfregarem as mãos.

“Nós já olhamos para essa região no centro da Via Láctea muitas vezes antes na luz infravermelha”, disse Alberto Noriega-Crespo do Infrared Processing and Analysis Center no California Institute of Technology em Pasadena, na Califórnia. “Mas quando nós observamos essa região nas imagens de alta resolução usando os comprimentos de onda sub-milimétricos do Herschel a presença do anel ficou muito clara”. Noriega-Crespo é co-autor de um novo artigo sobre o anel publicado numa recente edição do Astrophysical Journal Letters e que é apresentado ao final desse post.

O Observatório Espacial Herschel é uma missão liderada pela Agência Espacial Europeia com importantes contribuições da NASA. Ele observa a radiação infravermelha e sub-milimétrica emitida pelos astros, radiação essa que é capaz de atravessar a densa poeira que existe entre o centro da Via Láctea e nós. Os detectores do Herschel também são projetados para ver as coisas mais frias existentes na nossa galáxia.

Quando os astrônomos voltaram o gigantesco telescópio para observar o centro da Via Láctea, eles capturaram uma visão sem precedentes do anel interno – um denso tubo de gás frio misturado com poeira, onde novas estrelas estão se formando.

Os astrônomos ficaram chocados com o que viram, o anel, que está no plano da nossa galáxia, parece com o símbolo do infinito, com dois lobos cada um apontando para um lado. De fato, eles determinaram posteriormente que o anel estava torcido no centro, assim ele parecia só ter os dois lobos. Para imaginar isso, segure um arco de borracha de forma elíptica e torça ambas as pontas do arco em direções opostas, pronto você acaba de fazer uma figura semelhante ao anel de gás observado pelos astrônomos.

“Isso é que é super animador quando se lança um telescópio espacial novo como o Herschel”, disse Sergio Molinari do Institute of Space Physics em Roma, Itália, principal autor do novo artigo. “Nós temos um novo e excitante mistério em nossas mãos bem no centro da nossa própria galáxia”.

Observações feitas com o telescópio baseado em Terra do Rádio Observatório de Nobeyama no Japão complementaram os resultados obtidos com o Herschel determinando a velocidade do gás mais denso no anel. Os resultados de rádio demonstraram que o anel está se movendo como uma unidade, na mesma velocidade relativa do resto da galáxia.

O anel localiza-se no centro da barra da Via Láctea – uma região em forma de barra no centro dos braços espirais da galáxia. Essa barra  está na verdade dentro de um anel ainda maior. Outra galáxias possuem uma barra similar e anéis também. Um exemplo clássico de um anel dentro de uma barra pode ser visto na galáxia NGC 1097, que é mostrada abaixo numa imagem feita pelo Telescópio Espacial Spitzer da NASA. O anel brilha fortemente no centro da grande estrutura de barra da galáxia. Não se sabe se esse anel tem uma torção como o observado na Via Láctea.

Os detalhes de como as barras e os anéis se formam nas galáxias espirais não são bem entendidos, mas simulações de computadores demonstram como as interações gravitacionais podem produzir essas estruturas. Algumas teorias defendem que as barras surjam de interações gravitacionais entre galáxias. Por exemplo, a barra no centro da Via Láctea pode ter sido influenciada pelo nosso maior vizinho cósmico, a galáxia de Andrômeda.

A torção no anel não é o único mistério que surge com as novas observações feitas com o Herschel. Os astrônomos dizem que a porção torcida do centro do anel não está onde o centro da galáxia era imaginado, mas um pouco afastado. O centro da nossa galáxia é considerado como estando ao redor do Sagitarius A*, onde localiza-se um massivo buraco negro. De acordo com Noriega-Crespo, não está claro por que o centro do anel não se ajusta com o centro assumido da galáxia. “Ainda tem muito sobre a galáxia para ser descoberto”, disse ele.

O Herschel é uma missão da Agência Espacial Europeia com instrumentos científicos fornecidos  por um consórcio entre instituições europeias e com importante participação da NASA. O Herschel Project Office da NASA fica baseado no Laboratório de Propulsão a Jato, em Pasadena na Califórnia. O JPL contribui para a missão fornecendo tecnologia para dois dos três instrumentos do Herschel. O NASA Herschel Science Center é parte do Infrared Processing and Analysis Center no California Institute of Technology em Pasadena e é apoiado pela comunidade astronômica americana. O Caltech administra o JPL para a NASA.

Fonte:

http://www.herschel.caltech.edu/index.php?SiteSection=News&NewsItem=nhsc2011-013

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.