fbpx

SpaceX Irá Aumentar Consideravelmente O Número de Lançamentos Podendo Chegar a 70 Em 2023

A SpaceX está planejando aumentar de forma significante o número de lançamento de foguetes desde a Flórida, nos próximos anos, à medida que vai construindo a sua constelação de satélites Starlink, e enquanto aumenta também a demanda de seus clientes.

As missões dos foguetes Falon 9 e Falcon Heavy terão mais opções do que no passado. Uma mudança será a nova torre móvel de serviço, permitindo que os foguetes sejam integrados na vertical ao invés de fazer esse processo na horizontal, como é feito atualmente. Outra novidade será a capacidade de lançamentos para órbitas polares, algo complicado já que a Flórida está localizada mais perto da linda do Equador para otimizar missões que operam nessa faixa. A SpaceX também planeja recuperar as carenagens, e tornar cada vez mais, seus foguetes totalmente reutilizáveis.

Em 2023, a empresa espera realizar 70 missões em um ano, nos seus dois locais de lançamento no Kennedy Space Center na Flórida, usando o Falcon 9 e o Falcon Heavy. Essa taxa de lançamento é sete vezes maior que os lançamentos feitos em 2019, que foram 19 e quase o dobro dos previstos para 2020 que são 38.

Essa programação de lançamentos está baseada na necessidade da SpaceX em suportar a NASA e o Departamento de Defesa em suas missões, bem como, continuar com seus clientes comerciais. Em adição às típicas trajetórias de lançamentos, a SpaceX está propondo, incluir uma nova trajetória de lançamento do Falcon 9 para sul e assim poder trabalhar com órbitas polares. A SpaceX estima que aproximadamente 10% dos lançamentos anuais do Falcon 9 serão nessa nova trajetória de lançamento para o sul.

A SpaceX possui dois locais de lançamento, a história Launch Complex 39A, ou LC-39A, e a Launch Complex 40. A empresa também tem duas plataformas de pouso no Kennedy Space Center. A sua balsa drone, conhecida como Of Course I Still Love You, usada para o pouso dos foguetes no mar, fica baseada em Cabo Canaveral também, bem como suas duas embarcações que resgatam ou pelo menos tentam resgatar as carenagens dos foguetes lançados, e também o navio que resgata a cápsula Dragon.

A empresa que é baseada em Hawthorne na Califórnia tem também uma plataforma de lançamento na Base da Força Aérea de Vandenberg, com uma segunda balsa drone disponível para pousos. O primeiro foguete da SpaceX, o Falcon 1, foi lançado do Atol Kwajalein, nas Ilhas Marshall no Oceano Pacífico.

A nova trajetória polar necessitará de missões que voem ao longo da costa da Flórida para atingir a órbita correta, o que poderia gerar os chamados sonic booms. De acordo com relatórios, teria uma pequena probabilidade de danos em estruturas.

A torre móvel de serviço seria usada para uma grande variedade de lançamentos, incluindo, missões para a Força Aérea Norte-Americana. A torre será construída na LC-39A e terá 86 metros de altura e 35 metros de largura.

A SpaceX planeja recuperar as carenagens dos seus foguetes, usando seus dois navios para fazer isso. Até hoje ela conseguiu recuperar metade de algumas, mas o objetivo é recuperar as duas metades em todas as missões.

Durante 6 anos, a SpaceX fez com que 432 paraquedas e 432 parafoils pousassem no oceano. A SpaceX tentou recuperar todos os paraquedas e parafoils, mas pode ser que alguns não foram possíveis devido às condições meteorológicas e do oceano.

O relatório comenta sobre os lançamentos do Falcon 9 e do Falcon Heavy, mas não faz menção aos lançamentos da Starship. De acordo com o relatório, os lançamentos da Starship irão aumentando com o passar dos anos até 24 lançamentos por ano, e o número de lançamentos do Falcon irão dminuir.

O relatório feito pela FAA foi criado pois no seu manifesto a SpaceX incluiu muito mais lançamentos anuais do Falcon do que estava sendo considerado antes e também mais reentradas da cápsula Dragon. Essa atividade poderia afetar tanto os humanos como os animais na região. O relatório não possui a lista de cada uma das missões.

De maneira geral, a SpaceX tem falado do seu plano geral, principalmente no aumento da atividade, já que um dos objetivos é colocar os 42 mil satélites da constelação Starlink no espaço. Os satélites estão sendo lançados a uma taxa de 1 lançamento com 60 satélites, com poucas semanas de separação.

A SpaceX também está praticamente pronta para começar a lançar astronautas para a ISS direto da LC-39A. Nenhum astronauta americano é lançado de solo americano a bordo de uma nave americana desde 2011, quando o programa dos ônibus espaciais foi cancelado. Se continuar com a mesma frequência que existe hoje, serão 4 lançamentos para ISS por ano.

Vamos acompanhar tudo isso, e tentar transmitir ao vivo o máximo de lançamentos possíveis. Essa semana já tem um no dia 6 de março e depois na semana seguinte, outro lançamento do Starlink.

Fonte:

https://www.space.com/spacex-rocket-launch-rate-boost-mobile-service-tower.html

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .