Sonda da NASA Aprisionada em Marte Encontra Evidência de Água na Subsuperfície

O terreno onde a sonda da NASA Mars Exploration Rover Spirit está aprisionada no último ano possui evidências de que a água, talvez como neve derretida, escorreu para dentro da subsuperfície bem recentemente e de maneira continua.

Camadas de solo estratificado com diferentes composições próximos da superfície levaram a equipe de cientistas que cuida da sonda a propor que finos filmes de água podem ter entrado no solo a partir de gelo ou nve. O derramamento pode ter ocorrido durante as mudanças climáticas cíclicas nos períodos em que Marte sofreu grande variação no seu eixo. Assim, a água pode ter se movido para dentro da areia, carregando minerais solúveis para profundidades maiores do que aquelas onde estão localizados os minerais não solúveis. A variação no eixo do planeta é um fenômeno que ocorre em uma escala de centenas de milhares de anos.

Entre os minerais relativamente insolúveis localizados próximos da superfície incluem hematita, silica e gipsita. Sulfatos férricos que são mais solúveis parecem ter se dissolvido e então foi carregado pela água. Nenhum desses minerais são expostos na superfície, que é por sua vez coberta por areia e poeira carregada pelos ventos.

“A falta de exposições na superfície indicam que a dissolução preferencial dos sulfatos férricos precisa ser relativamente recente e ser um processo continuo, desde que o vento está sistematicamente castigando o solo e alterando a paisagem na região que está sendo examinada pela Spirit”, disse Ray Arvidson da Washington University em St. Louis e principal pesquisador envolvido no estudo dos dados coletados pelas sondas gêmeas Spirit e Opportunity.

As análises dessas descobertas aparecem em um artigo recentemente publicado no Journal of Geophysical Research escrito por Arvidson e outros 36 co-autores sobre as operações da Spirit desde o final de 2007 até um pouco antes da sonda cessar sua comunicação em Março de 2010.

As sondas gêmeas de Marte finalizaram suas missões em Abril de 2004, e então ganharam bônus para continuar explorando o planeta vermelho. Uma das seis rodas da Spirit parou de funcionar em 2006.

Em Abril de 2009, as rodas restantes da Spirit quebraram ao atravessar uma crosta em um local chamado Troy e então se enterraram na areia fofa. Uma segunda roda parou de funcionar sete meses depois. A Spirit não pode obter uma posição melhor para esticar seus painéis solares e carregar suas baterias durante o inverno. Os engenheiros então anteciparam a inserção da sonda em um estado de baixa energia, chamado modo de hibernação, e com isso a sonda parou de se comunicar com a Terra em 22 de Março de 2010. A primavera em Marte começa no próximo mês no local onde está a Spirit e a NASA está usando o Deep Space Network e o módulo orbital Mars Odyssey para ver se a sonda irá acordar novamente.

Mesmo com esses problemas os pesquisadores arrumaram uma maneira de levar vantagem da posição fixa da Spirit parada em Troy e examinaram com grande detalhe as camadas de solo onde as rodas ficaram presas, além de estudar também as superfícies na vizinhança. A Spirit andou 13 polegadas nos últimos 10 meses antes que o nível de energia caísse para níveis muito baixos em Fevereiro impossibilitando que a sonda pudesse ser dirigida.  Essa pequena movimentação, porém, expôs para os pesquisadores uma nova área do solo que poderá ser examinada caso a Spirit acorde e o seu braço mecânico volte a funcionar.

“Com energia solar insuficiente durante o inverno, a Spirit entrou em um estado profundo de hibernação onde todos os sistemas da sonda foram desligados, incluindo o seu rádio e seus aquecedores”, disse John Callas, gerente de projeto da Spirit e da Opportunity no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, na Califórnia. “Todos os painéis solares de energia disponíveis serão usados para recarregar as baterias da sonda e manter a missão em funcionamento”.

A sonda deve ter experimentado as temperaturas mais frias já enfrentadas no planeta vermelho e pode não ter sobrevivido a isso. Se a Spirit voltar a funcionar, a prioridade é um estudo que pode ser feito sem a necessidade de movimentar a sonda. O estudo iria medir a rotação do planeta Marte por meio da assinatura Doppler do sinal de rádio estacionário da sonda,com uma precisão que pode fazer com que os pesquisadores ganhem mais informações sobre o núcleo do planeta. A sonda Opportunity, por sua vez continua funcionando e continua a sua jornada em direção a uma grande cratera chamada Endeavour, atualmente a sonda encontra-se a 8 quilômetros de distância da cratera.

Fonte:

http://www.jpl.nasa.gov/news/news.cfm?release=2010-355&cid=release_2010-355&msource=10355&tr=y&auid=7258900

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.