Sombras no Polo Sul da Lua

O que é isso? É um mapa de iluminação multi-temporal da Lua, claro. Para gerar esse mapa, a Wide Angle Camera da sonda Lunar Reconnaissance Orbiter, coletou 1700 imagens em um período de 6 dias lunares, o equivalente a 6 messes terrestres, cobrindo de forma repetida uma área centrada no polo sul da Lua. Esses dados coletados foram então convertidos para valores binários, onde os pixels que estavam na sombra receberam o valor 0 e os pixels iluminados receberam o valor 1, as imagens foram então empilhadas para produzir um mapa que representasse a porcentagem de tempo que cada ponto na superfície era iluminado pelo Sol. Permanecendo de forma convincente na sombra, o interior da cratera de 19 km de diâmetro conhecida como Shackleton está localizada próximo do centro do mapa. O polo sul lunar propriamente dito localiza-se a aproximadamente na posição de 9 horas no anel da cratera. Como o eixo de rotação da Lua é praticamente perpendicular com o plano da eclíptica, interiores de determinadas crateras tanto no polo sul como no polo norte lunar ficam permanentemente em áreas de sombras, enquanto que determinadas montanhas recebem luz solar de forma contínua. Úteis para possíveis futuras explorações, os interiores das crateras que vivem nas sombras poderiam oferecer reservatórios de gelo de água e as montanhas que recebem  constantemente a luz solar poderiam abrigar painéis solares para fornecer energia para possíveis bases lunares.

Fonte:

http://apod.nasa.gov/apod/ap110423.html

 

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo