Rover Curiosity Termina Sua Segunda Perfuração Nas Rochas Antigas de Marte Atrás Dos Ingredientes Para a Vida no Planeta Vermelho

curiosity_segundo_furo_01

observatory_1501051O rover Curioisty da NASA acabou de terminar com sucesso sua investigação sobre as rochas antigas de Marte somente pela segunda vez desde que pousou dentro da Cratera Gale em Agosto de 2012, atrás de sua busca pelos ingredientes da vida no Planeta Vermelho.

No Domingo, 20 de Maio de 2013, o rover perfurou 6.6 centímetros dentro de um alvo chamado de Cumberland com o objetivo de coletar amostras pulverizadas do interior da rocha que pode guardar segredos sobre a história da água e da habitabilidade de Marte.

Cumberland, está literalmente a poucos passos do primeiro alvo de perfuração chamado de John Klein, onde o rover Curiosity realizou o histórico primeiro furo em um mundo alienígena, três meses atrás no mês de Fevereiro.

curiosity_segundo_furo_02

Análises das amostras pulverizadas acinzentadas do alvo John Klein feitas pelos laboratórios químicos dentro do Curiosity, SAM e Chemin, revelaram que esse local em Marte foi habitável no passado e possui os ingredientes químicos chaves necessários para suportar as formas de vida microbianas, essa já foi considerada uma realização de sucesso do rover que começou a cumprir o principal objetivo científico da missão, fazendo essa histórica descoberta.

Cumberland, localiza-se a apenas 2.75 metros a oeste de John Klein. Ambos os alvos estão dentro de uma rasa depressão conhecida como Baía Yellowknife, local que o Curiosity está explorando desde o final de Dezembro de 2012.

O veículo robô da NASA de seis rodas chegou a Cumberland na semana passada, mais precisamente no dia 14 de Maio de 2013, ou no Sol 274, depois de realizar um par de curtas caminhadas.

curiosity_segundo_furo_03

A equipe de ciência dirigiu o Curiosity para perfurar dentro da Cumberland, com o objetivo de determinar se esse local possui os mesmos ingredientes químicos encontrados na John Klein e se o ambiente habitável aqui é espalhado e por quanto tempo ele existiu na história de Marte.

“Nós vamos perfurar outro furo em Cumberland, para confirmar o que nós encontramos em John Klein”, disse John Grotzinger.

“As condições favoráveis incluem os elementos fundamentais para a vida, um ingrediente de energia que poderia ser explorado pelos micróbios, e água que não era ácida”, disse a NASA no seu anúncio.

As rochas Cumberland e John Klein são pedaços de embasamento plano que possuem veios de minerais hidratados pálidos compostos de sulfato de cálcio e que mostram uma superfície com textura sobressalente dentro da bacia conhecida como Baía Yellowknife e que lembra o fundo de um lago seco na Terra.

curiosity_segundo_furo_04

“Nós encontramos um ambiente habitável em John Klein, que é tão benéfico e suporta de maneira tão boa a vida que provavelmente se essa água esteve ao redor, e se você estivesse no planeta, você seria capaz até de bebê-la”, disse Grotzinger.

O rover Curiosity permanecerá em Cumberland pelas próximas semanas para caracterizar de maneira completa a área e então continuará explorando alguns afloramentos adicionais dentro e ao redor da Baía Yellowknife.

“Após isso estaremos provavelmente prontos para começar nossa jornada até o Monte Sharp, apesar de ainda pararmos para investigar alguns afloramentos que cruzamos no caminho dentro da Baía Yellowknife”, adiconou Grotzinger.

750227main_pia16935-full

Uma parada, provavelmente será num afloramento conhecido como Shaler, com acamamento cruzado que foi brevemente inspecionado no caminho.

Após isso o rover de 1 tonelada irá continuar sua épica jornada a caminho da base do misterioso Monte Sharp, a montanha de 5.5 km de altura repleta de camadas sedimentares que domina o local de pouso do Curiosity e que é o objetivo final da caminhada do Curiosity dentro da Cratera Gale.

Fonte:

http://www.universetoday.com/102256/curiosity-drills-2nd-hole-into-ancient-mars-rocks-searching-for-the-ingredients-of-life/

alma_modificado_rodape1051

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo