fbpx

Rover Curiosity da NASA Se Prepara Para Estudar o Solo Marciano

O rover Curiosity da NASA está numa posição em Marte onde os cientistas e os engenheiros podem começar o rover para recolher a sua primeira amostra de solo para análise.

O rover Curiosity é a peça principal da missão primária de dois anos do Mars Science Laboratory, ou MSL. A habilidade do rover de recolher e colocar amostras de solo em seus instrumentos de análise é fundamental para que se possa acessar se a sua posição atual em Marte, ou seja, a Cratera Gale, em algum momento do passado geológico de Marte ofereceu condições ambientais que de alguma forma favoreceram a formação da vida microbiana. As análises que serão feitas dos minerais podem revelar as condições ambientais do passado marciano. As análises químicas podem checar se existem nessas amostras ingredientes necessários para a vida.

“Nós agora alcançamos uma importante fase onde colocaremos as primeiras amostras sólidas nos instrumentos da análise, o que deve acontecer dentro de duas semanas”, disse o gerente da missão Michael Watkins do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena na Califórnia. “O Curiosity tem se comportado muito bem e nós pudemos fazer um grande progresso nesses primeiros dois meses de missão”.

As operações preparatórias do rover envolvem testes das capacidades do braço robô em coletar e processas as amostras de solo. Posteriormente o Curiosity também utilizará uma perfuratriz para coletar amostras pulverizadas das rochas. Para começar os preparativos para a primeira coleta, o rover usou uma de suas rodas na última quarta-feira para escavar o solo e expor material fresco.

Posteriormente, o rover irá recolher duas vezes o material do solo, irá agitar esse material dentro das câmaras de processamento de amostras para examinar as superfícies internas, então irá descartar a amostra.  O Curioisty irá recolher e agitar uma terceira medida de solo e colocará essa amostra numa bandeja de observação para que ela seja inspecionada pelas câmeras montadas em seu mastro. Uma porção dessa terceira amostra será levada até o instrumento CheMin de identificação química e mineralógica dentro do rover. Numa quarta amostragem a rocha será levada novamente ao CheMin e também para o instrumento de análise SAM, ou Sample Analysis at Mars, que identificará os ingredientes químicos.

“Nós iremos dar uma olhada detalhada na distribuição do tamanho das partículas do solo aqui para termos certeza sobre o que queremos”, disse Daniel Limonadi do JPL, engenheiro líder de sistemas para o sistema de ciência e amostragem superficial do rover Curiosity. “Nós seremos muito cuidadosos ao usar pela primeira vez essa ferramenta de recolhimento de amostras em Marte”.

Os ciclos de recolhimento e descarte servem para garantir a qualidade e é um procedimento similar ao utilizado em laboratórios de análises geoquímicas na Terra.

“É padrão recolher sua primeira amostra e então descarta-la, isso tem o objetivo de limpar qualquer resíduo de uma amostra anterior”, disse Joel Hurowitz do JPL, cientista do sistema de amostragem da equipe do Curiosity. “Nós queremos ter certeza de que a primeira amostra que nós analisaremos é sem dúvida nenhuma de Marte, então temos que executar essas etapas para remover qualquer material residual da Terra que possa estar nas paredes internas do sistema de amostragem”.

Rocknest, é o nome da área do solo que o Curiosity irá testar e analisar. O rover assumiu a posição desse terreno arenoso e empoeirado em 2 de Outubro. O Rocknest tem aproximadamente 2.5 metros x 5 metros de área. A área fornece regiões que podem ser amostradas algumas vezes. Diversas rochas próximas fornecem alvos para serem investigados com os instrumentos localizados no mastro do Curiosity durante as semanas em que o robô estiver parado na região Rocknest para realizar a primeira campanha de amostragem.

O instrumento de amostragem motorizado do Curiosity tem 4.5 centímetros de largura e 7 centímetros de comprimento e pode amostrar rochas localizadas a uma profundidade de 3.5 centímetros. Ele é parte de uma coleção de instrumentos de análise de rochas chamados de CHIMRA, localizado na torre de ferramentas no final do braço robótico do Curiosity. O CHIMRA também inclui uma série de câmaras e labirintos para realizar amostragens, servir e particionar amostras coletadas pelo amostrador ou pela perfuratriz do braço robótico.

Depois de realizar a amostragem da área de Rocknest a equipe do rover planeja guiar o Curiosity por aproximadamente 100 metros para leste dentro da região chamada de Glenelg e selecionar as rochas que serão os primeiros alvos para uso da perfuratriz.

O JPL, uma divisão do Instituto de Tecnologia da Califórnia, gerencia o projeto Mars Science Laboratory e construiu o rover Curiosity.

Para mais informações sobre a missão do rover Curiosity em Marte visitem: http://www.nasa.gov/msl ou http://mars.jpl.nasa.gov/msl . No blog CIENCTEC existe uma tag especial para o tema e todas as matérias podem ser acessadas em: http://cienctec.com.br/wordpress/index.php/tag/msl/

Você pode também seguir as atualizações da missão via Facebook e Twitter em: http://www.facebook.com/marscuriosity e http://www.twitter.com/marscuriosity .

Fonte:

http://www.jpl.nasa.gov/news/news.php?release=2012-312&cid=release_2012-312

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .