REDE NEURAL IDENTIFICA 11 ASTEROIDES POTENCIALMENTE PERIGOSOS | SPACE TODAY TV EP2124

VENHA PARTICIPAR DO CURSO DE ASTRONOMIA DO SPACE TODAY:

http://academyspace.com.br/bigbang

—————————————————–

ASSISTA O VÍDEO DA NED:

https://www.youtube.com/watch?v=ywmXvsHBBp4

——————————————————————–

VISITE A LOJA DO SPACETODAY:

https://www.spacetodaystore.com

——————————————————————–

SEJA MEMBRO DO SPACE TODAY E AJUDE COM A CRIAÇÃO DE CONTEÚDO SÉRIA NA ÁREA DE ASTRONOMIA:

https://www.patreon.com/spacetoday

https://apoia.se/spacetoday

https://www.youtube.com/channel/UC_Fk7hHbl7vv_7K8tYqJd5A/join

——————————————————————–

Uma das grandes questões em ciência planetária e no que chamamos hoje de defesa planetária é descobrir se algum dia, algum asteroide devastador irá se chocar com a Terra.

Com a quantidade de asteroides que temos identificados e com os anos que temos, ou seja, 4.5 bilhões, nós temos um típico problema para o pessoal da computação resolver.

A questão é, será que seria possível construir um código computacional que pudesse, com base nos asteroide conhecidos prever quais asteroides e quando eles passariam perto da Terra, ou se até mesmo iriam colidir com a Terra?

Se a gente voltar o relógio da Terra, vamos ver que temos vários impactos.

Identificando o importador é possível calcular a órbita dele, e com essa órbita podemos gerar o que chamamos de conjunto de treinamento.

Com esse conjunto de treinamento é possível através de um método chamado redes neurais, vasculhar uma imensa base de dados e então tentar chegar na resposta desejada.

E foi exatamente isso que um grupo de pesquisadores fez.

Eles integraram as órbitas, do Sol, dos planetas avançaram 10 mil anos no tempo e encontraram coisas fantásticas.

Os pesquisadores usaram o super computador da universidade de Leiden na Holanda, chamado ALICE e rodaram o código que eles chamaram de Hazardous Object Identifier, HOI, ou Oi em holandês.

Com esse código rodando, os pesquisadores conseguiram descobrir 11 asteroides com mais de 100 metros de diâmetro que entre os anos de 2131 e 2923 irão passar a menos de 10 x a distância entre a Terra e a Lua.

Com essas características esses asteroides são classificados como asteroides potencialmente perigosos.

Eles não aparecem nas listas de agências espaciais, pois as agências usa outras técnicas para determinar a órbita dos asteroides.

A técnica das agências é baseada em simulações de monte Carlo, que nesse tipo de problema falham.

Os pesquisadores disseram que esse foi um primeiro exercício, para confirmar que o método funciona.

Eles agora pretende desenvolver uma rede neural melhor com mais dados de entrada, ou seja, melhor treinada.

Os pesquisadores esperam que no futuro, redes neurais artificiais possam ser usadas para detectar objetos potencialmente perigosos.

Como esse método é bem mais rápido do que a técnica tradicional utilizada atualmente, é possível alertar as autoridades com antecedência e no caso de uma colisão se preparar para isso.

Fontes:

https://www.astronomie.nl/leiden-astronomers-discover-potential-near-earth-objects-76

https://www.theregister.co.uk/2020/02/17/neural_net_asteroids/

https://ui.adsabs.harvard.edu/abs/2014DPS….4641407G/abstract

https://www.aanda.org/articles/aa/pdf/2020/02/aa35983-19.pdf

#NeuralNetwork #Asteroids #SpaceToday

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.