fbpx

Raios Cósmicos na Voyager 1

Lançada para fazer uma grande turnê pelos planetas externos do Sistema Solar em 1977, por sorte, podemos dizer, as sondas gêmeas da missão Voyager viajaram também na direção geral do movimento do Sol com relação às outras estrelas. Trinta e cinco anos depois, a sonda Voyager 1 parece estar perto da fronteira entre a heliosfera do Sol e o espaço interestelar. Claro que a heliosfera é o alcance do domínio do Sol, definida pela influência do vento solar e do campo magnético do Sol. Mas como podemos dizer quando a Voyager 1 cruzará essa fronteira? Uma pista pode ser o aumento repentino na detecção de raios cósmicos energéticos. As partículas de alta energia viajam através do espaço interestelar aceleradas por distantes supernovas localizadas na nossa galáxia, mas são normalmente defletidas ou desaceleradas pela heliosfera. Cobrindo um período de 12 meses, de Setembro de 2011 a Setembro de 2012, o gráfico acima mostra o aumento dramático na taxa de partículas de raio cósmico detectadas nesses meses pela sonda Voyager 1. A sonda está agora a 18 bilhões de quilômetros de distância do Sol, o que equivale a 17 horas-luz ou 122 Unidades Astronômicas, e pode em breve se tornar a primeira sonda construída na Terra a entrar no espaço interestelar.

Fonte:

http://apod.nasa.gov/apod/ap120908.html

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .