fbpx
26 de fevereiro de 2024

A Cratera Pytheas na Lua e Seus Depósitos

Dentro do anel sul da cratera Pytheas na Lua, localizada nas coordenadas 20.55 graus de latitude norte e 20.6 graus de longitude leste está uma grande combinação de camadas de basalto de mar, de fluxo granular e de depósitos de talude. No canto inferior esquerdo da imagem é possível ver os detalhes da erosão onde o material granular  caiu longe do resto da superfície próxima ao anel. O rebento de alta refletância de material fluiu em uma faixa estreita sobre as camadas de basaltos de mar de refletância mais baixa, então após limpar o basalto, finalmente se dispersou em um cone amplo de depósito de talude. Esses cones de talude são comuns na Terra com alguns belos exemplos (como pode ser visto abaixo) que podem rivalizar com a beleza da Lua. Na Lua esses depósitos de talude são criados inteiramente pela gravidade, mas na Terra o vento e a água possuem um papel importante na sua formação.

Pytheas foi um geógrafo grego e um explorador que viveu na Terra por volta de 325 a.C.. Ele era da colônia grega que hoje é Marselha na França. Ele é especialmente importante para a geologia lunar já que foi ele o primeiro a relatar que as marés oceânicas na Terra eram provavelmente influenciadas pelas fases da Lua.

Fonte:

http://lroc.sese.asu.edu/news/index.php?/archives/509-Pytheas.html

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo