fbpx
23 de fevereiro de 2024

Processamento de Imagem da Lua Revela Maravilhas Escondidas


Processar fotografias da Lua usando uma seleção de tonalidades de sépia adiciona contrastes às imagens que destacam diferentes albedos, ou seja, os diferentes coeficientes de reflexão dos mares e das bacias de impacto. As crateras de impacto mais recentes e seus raios de material ejetado também ganham um destaque especial quando se usa o processamento em sépia. O material ejetado da cratera Tycho permanece quase que branco enquanto seus raios caminham sobre as terras altas, mas torna-se um foco de luz de cor chocolate, fácil de ser identificado contra o plano de fundo dos mares. As tonalidades sépia também adicionam detalhes a mais nos raios ejetados da cratera Copernicus. É possível ver também o padrão circular do material ejetado pela cratera Kepler a oeste da Copernicus. Não é possível ter certeza se esse único pixel da luz do Sol refletida pela Kepler é do anel oeste da Kepler ou de alguma outra fonte. Ao sul da cratera Kepler, o interior escuro do Mare Humorum é anelado por seis diamantes reluzentes que delimitam a borda oeste da bacia de impacto circular. No topo do mar Humorum, o pico central da Gassendi se ergue acima do interior sombreado da cratera, a parede da cratera também reluz em uma poeira como diamante. Você consegue identificar a Proclus e seu destacado leque branco de material ejetado sobre Palus Somni? E o que dizer sobre os raios gêmeos da Messier A, ao sul de Proclus? Mais uma vez com um simples processamento um pouco diferente, vários segredos da Lua podem ser revelados. Abaixo está a imagem original da Lua antes de ser submentida ao processamento por tonalidades sépia.

A foto abaixo mostra a Lua destacando em primeiro plano um ninho de pássaro, imagem feita numa tarde de outono no hemisfério norte mostrando como a atmosfera é limpa e clara nessa época do ano.

Fonte:

https://lpod.wikispaces.com/November+14%2C+2011


Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo