fbpx

Por Que Os Planetas São Esféricos?

A primeira vista parece uma pergunta tola, pois será que alguém já viu um planeta com outra forma?

É verdade, nunca ninguém viu e por que?

Para responder a essa pergunta devemos primeiro esclarecer sobre a formação dos planetas e do Sistema Solar.

Esses se formaram por colisões de planetesimais (objetos semelhantes aos asteróides), por um processo de crescimento.

Esses corpos foram formados por meio de colisões a baixa velocidade que fizeram com que os pedaços se fundissem num só corpo.

O conceito chave aqui é: se fundiram.

Um corpo que sofreu uma fusão com outro começa a se formar com uma forma dispersa, porém com a atuação constante da força da gravidade ele tende a se tomar uma forma esférica. Posteriormente se solidificam com a forma esférica que por sua vez sofre um achatamento nos polos devido ao movimento de rotação.

Por que esses choques acontecem a baixa velocidade? Porque a enorme maioria desses objetos possuíam órbitas quase que circulares ao redor do Sol. Para que a colisão entre eles pudesse acontecer eles deviam ter uma órbita e velocidades similares.

De qualquer forma também ocorriam choques a altas velocidades, e assim podemos imaginar o efeito catastrófico desses choques.

Porém sempre há um algo mais. Façamos um experimento mental. Suponhamos que temos a possibilidade de acumular material e fazer uma montanha da altura que desejarmos.

Começamos com um monte de 100 metros, logo chegamos a 1 km, 3 km, 8 km, alcançamos a altura do Everest e seguimos, 15, 30, 80, 200, 1000 quilômetros.

Seria isso possível? Bem, não precisamos chegar a tal extremo para perceber que algo parece não funcionar.

Uma montanha se mantém erguida por duas forças: a gravidade que tende a derrubá-la e a coesão do material que a forma e que tende a mantê-la em pé.

Quando o peso do material supera a força de coesão a montanha sucumbe.

Por isso, uma irregularidade possível em um asteróide é impossível de existir na Terra e por essa razão os asteróides maiores são esféricos.

O asteróide Eros por exemplo mede 33 x 13 x 13 km com um diâmetro médio de 20 km.

Se a Terra tivesse essa mesma irregularidade teria um diâmetro médio de 13000 km porém sua forma seria 21000 x 8000 x 8000 km. Haveria uma espécie de montanha com 8000 km de altura.

Se passamos a usar dados reais, sabemos que a máxima irregularidade do Sistema Solar é o Monte Olimpus em Marte, com nada mais que 25 km de altura, impressionante para os nossos padrões, mas ele representa somente 0.7% do raio do Planeta Vermelho.

Por esse motivo os asteróides pequenos são totalmente irregulares e quanto maior, mais esféricos eles são. Quando deixam de ser esféricos? Não é possível fixar um limite exato para isso, porque nesses casos se depende também dos materiais e das densidades do asteróide, porém podemos dizer que abaixo de 250 km de diâmetro eles são totalmente irregulares.

Fonte:

http://infobservador.blogspot.com/2011/04/porque-los-planetas-son-esfericos.html

 

 

 

 

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .