fbpx
27 de setembro de 2021

PKS 1127-145: Chandra Resolve Dois Problemas Observando Um Quasar Distante

A imagem de raio-X do quasar conhecido como PKS 1127-145, uma fonte altamente luminosa de raios-X e de radiação visível localizada a aproximadamente 10 bilhões de anos-luz da Terra, mostra um enorme jato de raio-X que se estende no mínimo por um milhão de anos-luz desde o quasar. O jato é provavelmente gerado devido à colisão de um feixe de elétrons de alta energia com fótons de micro ondas.


O feixe de alta energia acredita-se, seja produzido pela atividade explosiva relacionada com o redemoinho de gás ao redor do buraco negro supermassivo. O comprimento do jato e nós brilhantes observados de emissão de raios-X sugere que atividade explosiva é longa mas intermitente.

Em seu caminho para a Terra, os raios-X do quasar passam através de uma galáxia localizada a 4 bilhões de anos-luz de distância. Átomos de vários elementos na galáxia absorvem uma parte do raio-X e produz uma diminuição na intensidade dos raios-X do quasar, ou uma sombra de raios-X. De maneira similar,  quando um corpo é atingido por raios-X, ou ossos, eles produzem uma sombra de raios-X o que permite aos médicos estudarem as características do corpo atingido. Medindo a quantidade de absorção, os astrônomos são capazes de estimar que há 4 bilhões de anos, o gás na galáxia absorvente continha uma concentração muito menor de oxigênio com relação ao hidrogênio do que existe na nossa galáxia, aproximadamente 5 vezes menos. Essas observações darão aos cientistas ideias sobre como o suprimento de oxigênio das galáxias e gerado através das eras de vida desses objetos.


Fonte:

http://chandra.harvard.edu/photo/2002/1127/

 

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo