fbpx
17 de setembro de 2021

PERSEVERANCE DETECTA SAIS NAS AMOSTRAS COLETADAS EM MARTE

LINK PARA A LIVE DE LOGO MAIS COM O LANÇAMENTO DA NOVA VERSÃO DOS SATÉLITES STARLINK PELO FALCON 9: https://www.youtube.com/watch?v=_q9TNIFq-lM VAMOS LÁ, A META É 100 MIL INSCRITOS NO CIÊNCIA SEM FIM ATÉ 15 DE SETEMBRO!!! YouTube - https://www.youtube.com/channel/UC9djCiv4e85Kd8G--GWlcoQ Spotify…

LINK PARA A LIVE DE LOGO MAIS COM O LANÇAMENTO DA NOVA VERSÃO DOS SATÉLITES STARLINK PELO FALCON 9:

https://www.youtube.com/watch?v=_q9TNIFq-lM

VAMOS LÁ, A META É 100 MIL INSCRITOS NO CIÊNCIA SEM FIM ATÉ 15 DE SETEMBRO!!!

YouTube – https://www.youtube.com/channel/UC9djCiv4e85Kd8G–GWlcoQ

Spotify – https://sptfy.com/6jpw

Siga o Ciência Sem Fim nas redes sociais:

Twitter – https://twitter.com/cienciasemfim

Instagram – https://www.instagram.com/cienciasemfim/

TikTok – https://www.tiktok.com/@cienciasemfim?lang=pt-BR

O rover Perseverance Mars da NASA coletou com sucesso seu primeiro par de amostras de rocha, e os cientistas já estão obtendo novos insights sobre a região. Depois de coletar sua primeira amostra , chamada “Montdenier”, em 6 de setembro, a equipe coletou uma segunda, “Montagnac”, da mesma rocha em 8 de setembro.

A análise das rochas das quais as amostras de Montdenier e Montagnac foram retiradas e da tentativa anterior de amostragem do rover pode ajudar a equipe de ciência a juntar a linha do tempo do passado da área, que foi marcado por atividade vulcânica e períodos de água persistente.

“Parece que nossas primeiras rochas revelam um ambiente sustentável potencialmente habitável”, disse Ken Farley da Caltech, cientista do projeto para a missão, que é liderada pelo Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da NASA no sul da Califórnia. “É uma grande coisa que a água esteve lá por muito tempo.”

A rocha que forneceu as primeiras amostras do núcleo da missão é de composição basáltica e pode ser o produto de fluxos de lava. A presença de minerais cristalinos em rochas vulcânicas é especialmente útil na datação radiométrica. A origem vulcânica da rocha pode ajudar os cientistas a datar com precisão quando ela se formou. Cada amostra pode servir como parte de um quebra-cabeça cronológico maior; coloque-os na ordem certa e os cientistas terão uma linha do tempo dos eventos mais importantes na história da cratera. Alguns desses eventos incluem a formação da cratera de Jezero, o surgimento e desaparecimento do lago de Jezero e mudanças no clima do planeta no passado remoto.

Além do mais, sais foram vistos dentro dessas rochas. Esses sais podem ter se formado quando a água subterrânea fluiu e alterou os minerais originais na rocha, ou mais provavelmente quando a água líquida evaporou, deixando os sais. Os minerais de sal nesses dois primeiros núcleos de rocha também podem ter prendido pequenas bolhas de água marciana antiga. Se estiverem presentes, eles podem servir como cápsulas microscópicas do tempo, oferecendo pistas sobre o antigo clima e a habitabilidade de Marte. Os minerais de sal também são conhecidos na Terra por sua capacidade de preservar sinais de vida antiga.

Fonte:

https://www.nasa.gov/press-release/nasa-s-perseverance-rover-collects-puzzle-pieces-of-mars-history

#PERSEVERANCE #CIENCIASEMFIM #SPACETODAY

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo