fbpx
22 de fevereiro de 2024

Os Processos Endógenos e Exógenos Que Alteram a Superfície da Lua


A Lua é um mundo muito mais simples que a Terra, que o planeta Marte e que o satélite de Saturno Titã. Esses três outros objetos possuem atmosferas e líquidos fluindo em suas superfícies que enodem e depositam materiais. Dois, ou talvez três desses objetos possuem líquidos congelados que também trabalham, enodem e redepositam rochas e sedimentos. E no mínimo a Terra tem um interior dinâmico que move os 100 ou mais quilômetros de espessura de rochas superiores ao redor do globo como carros desgovernados. Mas a Lua parece também ter sofrido alteração mas por um processos diferentes, os impactos que formaram as crateras e o vulcanismo. Mesmo o que é chamado de tectônica da Lua, as falhas e as dobras observadas, é na verdade uma conseqüência direta desses dois processos. A imagem acima da Lua, foi feita no observatório do Pic du Midi e nela é possível identificar feições endógenas e exógenas. Como num jogo de sete erros, pode-se identificar no mínimo seis tipos de formas resultantes de atividades internas e cinco ou mais resultantes de impactos sofridos pela Lua. Além disso é possível também observar feições geradas por uma mistura dos dois processos. Tentem adivinhar quais são esses processos e postem aí nos comentários.

Fonte:

https://lpod.wikispaces.com/November+6%2C+2011


Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo