fbpx
19 de setembro de 2021

Os Instrumentos Óptico e Infravermelho da Euclid São Integrados na Espaçonave

Os instrumentos óptico e infravermelho da missão Euclid da ESA, que irá estudar a energia escura e a matéria escura no espaço, passaram pelas suas revisões de qualificação e aceitação e agora estão totalmente integrados ao módulo de carga da espaçonave. Isso marca um passo importante na direção da montagem completa do Euclid Space Telescope, que que tem data de lançamento prevista para 2022.

Os dois instrumentos do Euclid, o Visible Imager (VIS) e o Near-Infrared Spectrometer and Photometer (NISP), foram integrados no módulo de carga da espaçonave pelo Airbus Defence and Space in Tolouse, na França. Esse módulo é construído com uma base de silicone, contendo os dois instrumentos de um lado e o espelho principal do telescópio do outro lado.

O processo de desenhar e construir o módulo não foi fácil. A base é toda feita de silicone, uma material cerâmico que foi moldado para acomodar os instrumentos com extrema precisão. Devido ao seu tamanho ele consiste de 4 pedaços que foram combinados formando um único. A montagem e o alinhamento dos instrumentos óptico e infravermelho foi finalizada com sucesso.

Os instrumentos que vão atuar no visível e no infravermelho são cruciais para medir tanto a forma como o desvio para o vermelho de galáxias distantes e de aglomerados de galáxias distantes. Isso irá permitir que os cientistas possam reconstruir os últimos 10 bilhões de história de expansão do universo e assim investigar tanto a matéria escura como a energia escura, ambos os componentes dominantes no nosso universo.

Depois da integração feita com sucesso de ambos os instrumentos e do telescópio, as chamadas “unidades frias”, o módulo de carga serão enviados para o Centre Spatial de Liège, na Bélgica em abril de 2021. Lá, os instrumentos serão testados para a compatibilidade óptica e para a performance nas temperaturas em que irão operar no espaço, entre -193 graus Celsius e 17 graus Celsius.

É preciso ter certeza que os instrumentos irão operar perfeitamente no espaço. Serão realizados testes na câmara térmica de vácuo, que irá simular as condições do espaço.

Também serão testadas na Bélgica o módulo de serviço contendo as chamadas unidades quentes, como computadores e suprimentos de energia.

Uma vez que os testes de compatibilidade e de performance mostrarem que tudo está trabalhando bem, o módulo de carga e as unidades quentes serão enviadas para a Thales Alenia Space em Turin, na Itália, onde tudo isso será integrado formando então a espaçonave final. Então, uma outra rodada de testes será feita para garantir que tudo junto está funcionando bem. Nesse ponto, a espaçonave estará praticamente terminada e pronta para o lançamento.

O lançamento está atualmente programado para a segunda metade de 2022, direto de Kourou na Guiana Francesa. O Euclid irá orbitar a Terra no ponto de Lagrange L2, que está localizado a 1.5 milhão de quilômetros de distância da Terra, diretamente atrás da Terra.

Com a coordenação geral da ESA, os instrumentos do Euclid foram desenhados e construídos pelo Euclid Consortium, uma colaboração de institutos nacionais responsáveis pela definição da missão científica além de prover os instrumentos científicos e o processamento dos dados. O instrumento VIS foi construído por um grupo internacional de institutos liderados pelo Mullard Space Science Laboratory, o MSSL, no University College de Londres, no Reino Unido. O instrumento NISP foi construído por outro consórcio de institutos nacionais liderado pelo Laboratoire d’Astrophysique de Marseille, ou LAM, na França, e os detectores foram fornecidos pela NASA.

Fonte:

https://sci.esa.int/web/euclid/-/euclid-s-optical-and-infrared-instruments-integrated-in-spacecraft

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo