Os Halos Gelados de Cuba

OPOD - Cuba High Sun Halos

observatory_150105As imagens aqui nesse post mostram um Sol alto e halos de gelo ao redor do Sol, sobre Varadero em Cuba. As imagens foram feitas por Gelnn Lozman.

A imagem principal do post mostra um halo nítido e brilhante circulando o Sol, que provavelmente é um halo circunscrito e não um halo de 22 graus. O halo circunscrito é formado pelos cristais colunares horizontais e com um Sol alto (entre 65 e 75 graus acima do horizonte) sua forma oval tende a ficar mais e mais circular. Um pequeno e branco círculo parélico se curva através do Sol.

Abaixo do halo circunscrito está outro arco intensamente colorido, um arco infralateral ou um arco circunhorizontal. É difícil dizer qual deles é. Veja as simulações no final do post para entender.

OPOD - Cuba High Sun Halos (1)

Michael Ellestad também registrou um fraco e inferior arco de Wegener tangente à base do halo circunscrito.

Na imagem abaixo pode-se ver a forma oval do halo circunscrito de forma evidente. Talvez exista uma leve pista de um halo de 22 graus dentro e tocando o halo circunscrito na parte superior e inferior.

Essas imagens negam a crença de que halos magníficos só podem ser vistos nos climas gelados dos polos. Na verdade eles podem aparecer em qualquer lugar se existirem sobre o local nuvens cirros altas com cristais de gelo de boa qualidade óptica.

OPOD - Cuba High Sun Halos (3)

Para entender melhor esse fenômeno, pode-se usar um software que simula esses halos. A figura abaixo mostra a simulação feita com o HaloSim que traça raios por todo o céu e mostra as possibilidades, considerando a altura de 65 graus acima do horizonte do Sol em Cuba. A simulação usou uma mistura de cristais colunares horizontais, cristais achatados e cristais orientados de forma aleatória.

O halo de 22 graus formado a partir dos cristais aleatoriamente orientados destaca a forma oval do halo circunscrito muito mais brilhante produzido pelas colunas horizontais. O halo circunscrito é mais nítido com maior saturação de cores.

O círculo parélico resulta das reflexões das facetas verticais próximas das colunas (faces terminais) e dos cristais achatados (faces laterais).

Existe, porém, pouca evidência perto do Sol de cristais achatados quando o Sol está alto. Isso faz com que a distinção  entre um arco circunhorizontal e um arco infralateral puramente olhando fotografias seja algo difícil de ser feito. Quando você ver um tente julgar visualmente se ele é paralelo ao horizonte. Se sim, então ele é provavelmente um arco circunhorizontal gerado por cristais achatados.

OPOD - Cuba High Sun Halos (2)

Fonte:

http://www.atoptics.co.uk/fz896.htm

alma_modificado_rodape105

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo