O Resultado Devastador da Erupção do Vulcão Merapi na Indonésia

O primeiro perigo durante a erupção do Vulcão Merapi foi o fluxo piroclástico. Essas avalanches de gases vulcânicos quentes, poeira, e rochas que descem rapidamente e violentamente com velocidades superiores a 150 km/h. Fluxos piroclásticos são normalmente canalizados pelo terreno, mas fluxos grandes e violentos podem se espalhar por uma área maior.

Essa imagem em cor falsa de satélite foi feita utilizando o instrumento ASTER a bordo do satélite Terra da NASA, mostra evidências de um grande fluxo piroclástico ao longo do Rio Gendol ao sul do Monte Merapi. Depósitos vulcânicos cinzas preenchem o curso do rio. Pouco ao norte do  campo de golfe Merapi existe uma área bem mais larga onde um fluxo piroclástico se espalha pela paisagem causando quase que uma devastação total. Dentro dessa área cinza escura, a maior parte das árvores foram derrubadas e o solo foi coberto por poeira e rochas. Os depósitos de fluxo são imensamente circundados por uma vegetação sadia, colorida em vermelho brilhante. A pluma de cinza do vulcão se estende para oeste sendo guiada pelos ventos. Próximo da pluma, uma queda pesada de cinzas cobriu os campos e as florestas colorindo essa área de vermelho para cinza.

Fonte:

http://earthobservatory.nasa.gov/NaturalHazards/view.php?id=46975

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.