O Pôr-do-Sol na Parte Oeste da América do Sul Visto Desde a Estação Espacial Internacional

Os astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional observam na média, 16 nascer e pôr-do-Sol no período orbital de 24 horas. Cada mudança entre o dia e a noite é marcado por um terminador, uma linha na superfície da Terra que separa o lado iluminado do lado escuro da Terra.

Enquanto o terminador é quase que contextualizado como uma borda dura – e é frequentemente apresentado em visualizações e gráficos – na realidade a borda da luz e da escuridão é difusa devido ao espalhamento da luz pela atmosfera da Terra. Essa zona de iluminação difusa se apresenta como o crepúsculo no solo, enquanto que o Sol não é mais visível e alguma iluminação ainda está presente devido ao espalhamento da luz sobre o horizonte local.

O terminador é visível nessa imagem panorâmica sobre a parte central da América do Sul, que foi feita com a câmera apontada para nordeste. Um astronauta fez essa foto aproximadamente às 19:32 hora local. As camadas da atmosfera da Terra, com cores que variam do branco para o azul profundo são visíveis no horizonte (ou limbo). O topo das nuvens mais altas têm um brilho avermelhado  devido a iluminação direta recebida do Sol, enquanto que as nuvens mais baixas estão no crepúsculo.

O Salar de Coipasa um grande lago na Bolívia é visto de forma apagada no lado noturno do terminador. O salar fornece um ponto de referência geográfico para determinar a localização e a orientação da imagem feita pelo astronauta.

Fonte:

http://earthobservatory.nasa.gov/IOTD/view.php?id=50205

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.