O PÉ GRANDE CÓSMICO | SPACE TODAY TV EP2128

Obrigado World of Warships por patrocinar esse vídeo! Façam o download aqui:

https://wo.ws/2Sd1tW7

E utilizem o código BATTLESTATIONS2020 para ganharem diversos brindes:

* 250 Dobrões
* 3 Dias de Premium
* Barco USS Charleston
* +1 Vaga no porto
—————————————————–
VENHA PARTICIPAR DO CURSO DE ASTRONOMIA DO SPACE TODAY:

http://academyspace.com.br/bigbang

—————————————————–

ASSISTA O VÍDEO DA NED:

https://www.youtube.com/watch?v=ywmXvsHBBp4

——————————————————————–

VISITE A LOJA DO SPACETODAY:

https://www.spacetodaystore.com

——————————————————————–

SEJA MEMBRO DO SPACE TODAY E AJUDE COM A CRIAÇÃO DE CONTEÚDO SÉRIA NA ÁREA DE ASTRONOMIA:

https://www.patreon.com/spacetoday

https://apoia.se/spacetoday

https://www.youtube.com/channel/UC_Fk7hHbl7vv_7K8tYqJd5A/join

——————————————————————–

A história do nosso universo começou a cerca de 13.8 bilhões de anos atrás, com o Big Bang. Quando os astrônomos pesquisam fundo no espaço, eles observam partes do universo, como elas eram bem no começo dessa história. Isso porque a luz, leva um longo tempo para viajar essas grandes distâncias. Para descobrir como as galáxias se formaram e se desenvolveram com o tempo, os astrônomos observam os objetos mais distantes e mais antigos que eles podem ver.
Essas observações revelam que as galáxias massivas apareceram no universo cerca de 1 a 2 bilhões de anos depois do Big Bang. Mas como nessa época do universo já existiam estrelas para formar grandes galáxias? As descobertas implicam que as primeiras galáxias massivas formaram estrelas numa elevada taxa.
Agora, uma equipe de astrônomos conseguiu registrar uma dessas primeiras galáxias no momento em que ela estava formando uma grande quantidade de estrelas. Essas observações capturaram a galáxia que tem aproximadamente o mesmo tamanho da Via Láctea, 1 bilhão de anos depois do Big Bang. Contudo, a galáxia está criando cerca de 300 sóis por ano, enquanto a Via Láctea forma entre 1 e 2 sóis por ano.
A equipe de astrônomos diz ter encontrado algo como o Pé Grande Cósmico, pois anteriormente, os astrônomos não concebiam o fato de galáxias grandes galáxias existirem.
Os astrônomos estavam usando o ALMA para estudar outra galáxia, quando notaram uma pequena mancha inesperada nas imagens. Quando investigaram essa mancha descobriram que na verdade, ela era uma galáxia localizada a mais de 12 bilhões de anos-luz de distância da Terra.
Os pesquisadores então olharam outras imagens dessa mesma parte do céu e descobriram traços apagados da galáxia em vários comprimentos de onda de luz. Esses traços, eram muito apagados para alguém garantir que era mesmo a galáxia que estava ali. Mas combinando essas observações com dados mais claros e mais brilhantes do ALMA, os pesquisadores puderam ter uma confiança maior que os traços de luz vinham mesmo da galáxia. A partir dos traços de luz, os pesquisadores, puderam inferir o quão rápido a galáxia está formando estrelas.
Pelo fato dos astrônomos terem descoberto de forma acidental a galáxia numa pequena parte do céu, eles acreditam que essas galáxias que formam muitas estrelas e rapidamente não sejam raras na verdade.
O fato de se ter descoberto um desses objeto e do jeito que foi, mostra que eles podem ser comuns, o que deixa os astrônomos animados para futuras pesquisas. Eles esperam encontrar mais dessas galáxias e assim serem capazes de contar melhor a história da formação dessas grandes galáxias no início do universo.
Essa galáxia recém-descoberta é apenas uma peça do complex quebra-cabeça sobre o início do universo. Quanto mais peças os astrônomos encontrarem melhor eles poderão contar a história de como o universo se formou e evoluiu.
Fonte:
https://arxiv.org/pdf/1905.11996.pdf

#CosmicYeti #Galaxies #SpaceToday

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo