O Papel da Iluminação na Interpretação das Feições Lunares

A iluminação pode mesmo alterar a imagem de feições na Lua. A imagem acima, por exemplo, é uma versão com o Sol alto da imagem mostrada abaixo. Com essa iluminação mais lata, não todos, mas uma grande maioria dos domos presentes nessa região desapareceram, em contraste na imagem acima as cadeias aparecem de forma mais impressionante, definindo de forma clara a Lamont. Lógico que o telescópio utilizado aqui e a câmera, também fizeram seus papéis capturando detalhes impressionantes do interior das crateras, incluindo o rugoso assoalho dentro da Vitruvius, o pico da Arago, a estranha parede oeste da Ross e a cavidade na borda da montanha central da Maskelyne. Essa imagem pode nos chamar a atenção também pela incomum cratera bem brilhante. Perto do canto superior esquerdo, acima e a direita da cratera Al-Bakri, é um ponto bem brilhante ao lado da montanha.

O mapa feito usando a ferramenta LRO QuickMap, mostrado abaixo, apresenta esse ponto como sendo uma pequena e jovem cratera de impacto, logicamente circundada por um nimbo brilhante. Dando um zoom nas imagens do tipo NAC obtidas pela sonda LRO temos uma surpresa, confirmada pelas medidas de altimetria. Essa não é uma cratera jovem típica, pois não temos um assoalho plano, e de fato dificilmente essa feição seja uma cratera. As seções de altimetria revelam pequenos anéis e um assoalho, mas a cratera é muito rasa e a topografia é dominada pelo talude de uma montanha.

Fonte:

http://lpod.wikispaces.com/October+5%2C+2012

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.