O Mar Árido na Lua

Os nomes clássicos de áreas na Lua que são escuros foram dados todos em homenagem a figuras náuticas, mas isso foi um erro pelo fato da Lua nunca ter tido mares ou oceanos, mas quando observados da Terra essas regiões assumiam cores que fizeram com que os antigos astrônomos pensassem que aquelas regiões eram verdadeiros mares ou oceanos na Lua. As imagens acima mostram detalhes do  Mar da Árido. Imagens regionais como essa são inestimáveis para se entender a estrutura completa dessa porção da Lua. Muitos dos detalhes visíveis aqui estão relacionados com a estrutura de impacto da bacia Humorum. O mar propriamente dito preenche a depressão da bacia com uma espessura estimada de lava de 3 km. O anel da bacia é mais claramente visível  em um arco parcial a sudoeste da Gassendi em direção sul da Liebig. Na direção da bacia desse arco existe uma escarpa, que alcança quase a Doppelmayer, e que marca onde o centro da bacia sofreu o afundamento. Algumas dessas fraturas aparentemente permitiram que o magma rico em gás alcançasse a superfície criando os depósitos piroclásticos de tonalidade escura e tornando-se a fonte do canal a oeste da Doppelmayer. As cadeias de dobramento ao longo da borda leste do mar marcam um anel interno da bacia e o famoso canal que corta a Hippalus mostra onde o peso das lavas do mar entortaram e fraturaram a borda do terreno.

Fonte:

https://lpod.wikispaces.com/June+26%2C+2011

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.