O Fluxo de Lava no Vulcão Nabro da Eritreia é Fotografado Por Satélite da NASA

Desde o início da recente erupção do vulcão Nabro, uma densa pluma de vapor de água, gás e cinza tem coberto o cume do vulcão. Novas imagens feitas no dia 29 de Junho de 2011, finalmente fornecem uma visão quase que totalmente desimpedida do cume do Nabro, onde a lava fluiu desde a fonte da erupção  e desceu pelo talude do vulcão.

Localizado na nação da Eritreia no Leste da África, o Nabro começou sua erupção explosiva no dia 12 de Junho de 2011. O poder da erupção enviou plumas de cinzas até o norte da África e para o Oriente Médio, e bombeou grandes quantidades de dióxido de enxofre na atmosfera. As cinzas do vulcão cancelaram alguns voos no Leste da África por algum tempo. A erupção matou sete pessoas, disse o governo da Eritreia  e outros relatos indicam que milhares de pessoas foram afetadas tanto na Eritreia como na Etiópia, apesar das notícias vindas dessa região serem muito esparsas e as vezes até contraditórias.

Mais recentemente o vulcão entrou numa fase mais tranquilo, sem grandes explosões apenas com o derramamento de lava como mostra as imagens obtidas pelo Advanced Land Imager (ALI) a bordo do Earth Observing-1 (EO-1). A imagem acima mostra o vulcão através dos comprimentos de onda da luz visível e da luz infravermelha (infravermelho de ondas curtas, infravermelho próximo e verde). A lava quente brilha em cores laranja e vermelho voltando a ficar preta assim que esfria. O longo fluxo no lado oeste do vulcão é moldado pelo terreno preto, um sinal de que a superfície está fria, ou se resfriando. A lava para leste e para o sul da fonte parece ser mais nova, isso é observado pois como indica a imagem pouca parte dela se apresenta preta devido ao resfriamento. É possível que a lava fria no fluxo oeste do vulcão desvie a lava mais recente para sul e para leste.

A imagem abaixo mostra o vulcão em sua cor natural. Pode-se ver que uma pluma pequena e um pouco amarronzada nasce desde a fonte da erupção e a cinza então deixa o terreno a oeste e a sul do vulcão Nabro preto.


Com o decorrer da erupção do vulcão Nabro, as imagens de satélite são as únicas fontes seguras de novas informações sobre a sua atividade. Imagens detalhadas como essas, aqui apresentadas, fornecem ideias sobre o comportamento da lava. Por exemplo, o vulcanólogo Erik Klemetti usou imagens anteriores do ALI para estimar a velocidade com que a lava está se movimentando  e estimar a sua espessura, ou seja, a viscosidade da lava. O vulcão Nabro não entrou em erupção em nenhum momento durante a história humana na Terra, mas o fluxo de lava próximo do vulcão é relativamente recente em termos geológicos. O vulcão Nabro é parte do rift muito ativo do leste africano onde três placas tectônicas estão sendo empurradas umas contra as outras. À medida que a crosta da Terra afina nessa região, os vulcões surgem nos pontos de fraqueza e ruptura.

Fonte:

http://earthobservatory.nasa.gov/IOTD/view.php?id=51253

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.