fbpx
26 de fevereiro de 2024

O Festivo E Flutuante Glóbulo de Gás Registrado Pelo Hubble Na Nebulosa Westerhout 5

Essa bela imagem feita pelo Telescópio Espacial Hubble mostra uma pequena região da nebulosa conhecida como Westerhout 5, que está localizada a aproximadamente 7000 anos-luz de distância da Terra. Essa imagem tem várias coisas muito interessantes para serem estudadas pelos astrônomos, incluindo o que é conhecido como Glóbulo Gasoso Evaporante Flutuante, ou algo assim em tradução livre, e também conhecido como frEGG. O frEGG nessa imagem é a pequena região escura em forma de girino que se pode ver no canto superior esquerdo do frame. Essa bolha que parece flutuar na imagem é pesada e tem dois nomes nada interessantes, [KAG2008] glóbulo 13 e J025838.6+604259, astrônomo as vezes não é muito bom para dar nome, mas esses nomes nada mais são as entradas desse objetos em catálogos que registram esse tipo de fenômeno.

Os frEGGs são uma classe particular do que os astrônomos conhecem como Glóbulos Gasosos Evaporantes, ou EGGs. Tanto os frEGGs como os EGGs são regiões de gás com uma densidade suficiente que os faz fotoevaporar com menos facilidade do que o gás compacto que está ao seu redor. A fotoevaporação ocorre quando o gás é ionizado e disperso por uma fonte intensa de radiação, por exemplo, estrelas normalmente jovens e quentes que liberam grandes quantidades de radiação ultravioleta. Os EGGs só foram identificados muito recentemente, principalmente localizados nas pontas dos famosos Pilares da Criação. Os frEGGs então só foram ser identificados mais recentemente ainda e se distinguem dos EGGs por serem destacados e terem uma forma distinta, a forma de um girino, com um tipo de cabeça e uma cauda. Os frEGGs e os EGGs são de particular interesse para os astrônomos porque a sua densidade faz com que seja mais difícil para a radiação ultravioleta encontrada em regiões ricas em estrelas jovens penetrá-los. sua opacidade relativa significa que o gás dentro deles está protegido contra a ionização e a fotoevaporação. Acredita-se que isso seja importante para a formação das protoestrelas, e muitos frEGGs e EGGs devem ser os anfitriões do nascimento de novas estrelas.

O frEGG nessa imagem é o ponto escuro mergulhado no mar de luz vermelha. A cor vermelha é causada por um tipo particular de emissão de luz conhecida como emissão h-alfa. Isso ocorre quando um elétron muito energético dentro de um átomo de hidrogênio perde parte da sua energia, fazendo com que o elétron se torne menos energético e nesse processo todo, essa luz vermelha é liberada.

Fonte:

https://esahubble.org/images/potw2251a/

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo