fbpx
19 de setembro de 2021

O Caos No Coração da Nebulosa de Orion

Redemoinhos gasosos de hidrogênio, enxofre, e hidrocarbonetos envolvem uma coleção de estrelas recém-nascidas nessa bela composição da Nebulosa de Orion, feita com dados obtidos pelo Telescópio Espacial Hubble e pelo Telescópio Espacial Spitzer. De forma integrada, os dois telescópios conseguem expor as moléculas ricas em carbono na nuvem cósmica, dessa verdadeira fábrica de estrelas, localizada a aproximadamente 1500 anos-luz de distância da Terra.

A visão do Hubble na luz ultravioleta e na luz visível revela o gás hidrogênio e enxofre que foi aquecido e ionizado pela intensa radiação ultravioleta das estrelas massivas, coletivamente conhecidas como Trapézio. Enquanto isso, a visão em infravermelho do Spitzer expõe as moléculas ricas em carbono na nuvem. Os telescópios mostram então as estrelas em Orion como um verdadeiro arco-íris de pontos pontilhando toda a imagem.

Crédito da Imagem:

NASA/JPL-Caltech STScI

Fonte:

https://www.nasa.gov/image-feature/chaos-at-the-heart-of-the-orion-nebula

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo