NGC 634: Uma Galáxia Espiral Perfeita Com Um Segredo Explosivo

O Telescópio Espacial Hubble das Agências Espaciais NASA e ESA é famoso por fazer imagens de tirar o fôlego de qualquer um e essa imagem que ele fez da NGC 634 é exatamente isso – uma imagem muito detalhada e excepcionalmente perfeita da estrutura espiral da galáxia que é difícil de acreditar que essa é uma foto de verdade e não uma imagem feita de um filme como Guerra nas Estrelas.

Essa galáxia espiral foi descoberta no século 19 pelo astrônomo francês Édouard Jean-Marie Stephan, mas em 2008 ela se tornou alvo principal de observações graças a violenta morte de uma estrela do tipo anã branca. A supernova de tipo Ia conhecida como SN2008a foi registrada na galáxia e brevemente rivalizou em brilho com toda a galáxia mas,  apesar da energia da explosão ela não pôde mais ser vista pelo Hubble nessa imagem que foi feita mais ou menos um ano e meio depois desse evento.

Acredita-se que as estrelas anãs brancas sejam o ponto final de evolução de estrelas que possuem massa entre 0.07 e 8 massas solares, o que é igual a quase 97% de todas as estrelas na Via Láctea. Contudo, existem exceções a regra, em um sistema binário  é possível que uma estrela anã branca agregue material de sua estrela companheira e de forma gradativa ganhe peso. Como uma pessoa que só come junk food, a estrela pode eventualmente crescer totalmente, assim, quando ela excede 1.38 massas solares as reações nucleares começam a produzir uma enorme quantidade de energia e então a estela explode como uma supernova do tipo Ia.

Essa imagem foi criada a partir de imagens feitas com o Wide Field Channel da Advanced Camera for Surveys do Hubble. As imagens obtidas através do filtro amarelo (F555W, foram coloridas de azul) foram combinadas com imagens feitas através do filtro vermelho (F625W, coloridas de verde) e com imagens feitas através do filtro de infravermelho próximo (F775W, coloridas de vermelho). O tempo total de exposição por filtro foi de 3750s, 3530s e 2484s, respectivamente, e o campo de visão da imagem é de 2.5 x 1.5 arcos de minuto.

Fonte:

http://www.spacetelescope.org/images/potw1122a/

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo