NASA Visita a Copa do Mundo – Campeones e Caos

Em 1 de Julho de 2004, a Espanha e Portugal experimentaram uma das maiores ondas de calor de todos os tempos. Quando o instrumento Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer (MODIS) a bordo do satélite Aqua da NASA fez essa imagem, algumas nuvens frias cobriam somente uma parte ao norte da costa, enquanto que o resto do país estava completamente sendo aquecido pelo Sol, sem nenhuma nuvem.

A imagem mostrada aqui retrata a temperatura no solo terrestre que foram coletadas pelo MODIS e que os cientistas deram cores para melhor entender, sendo as cores rosas as temperaturas mais frias, e as cores vermelhas fortes, as temperaturas mais altas. Pode-se ver que o vermelho forte domina toda a Espanha, especialmente ao redor da parte central da fronteira entre Portugal e Espanha, onde as temperaturas no solo atingiram 59 graus Celsius. De acordo com os noticiários a temperatura do ar estava acima dos 40 gruas Celsius e a energia gasta pelo país na época com ar-condicionado e sistemas de refrigeração causaram vários apagões em todo o país. Uma imagem em cor natural desta imagem está disponível no website do MODIS Rapid Response System. Essa imagem, melhor do que o polvo Paul, mostra de forma profética como a Espanha jogaria a copa e chegaria a ser campeã, com raça, técnica e criatividade, deixando seu país inteiro com orgulho da seleção.

De forma contrária a imagem selecionada pela NASA para representar o Brasil, também de forma profética parecia imaginar o que aconteceria. vamos saber por que.

Até a data em que foi feita essa imagem aqui reproduzida, somente dois ciclones tropicais haviam sido identificados na Bacia do Atlântico Sul e nenhum furacão. Contudo, no dia 26 de Março de 2004 uma circulação com o centro afastado da costa sul do Brasil foi observada como se desenvolvendo como um ciclone e a sua intensificação começou a se mover para oeste tocando o solo brasileiro no dia 27 de Março de 2004.

A tripulação a bordo da Estação Espacial Internacional, notou o ciclone e adquiriu excelentes imagens desse incrível fenômeno meteorológico. A tempestade severa atingiu em cheio o estado de Santa Catarina e com isso esse fenômeno ficou conhecido como Furacão Catarina. É interessante observar na imagem o sentido de rotação horária do furacão no hemisfério sul, a bandagem bem definida que caracteriza esse tipo de evento e o olho central do sistema de no mínimo categoria 1. A linha de costa brasileira pode ser vista no canto superior esquerdo da imagem.

Imagens adicionais desse raro ciclone tropical no Atlântico Sul estão disponíveis na seção de desastres naturais. O professor de meteorologia Lee Grenci da Penn State University preparou um estudo detalhado sobre o Catarina.

A foto do astronauta foi feita no dia 7 de Março de 2004, com uma câmera digital Kodak DCS760 equipada com uma lente de 50 mm e foi disponibilizada pelo Earth Observatory Laboratory do Johnson Space Center.

O interessante dessas duas imagens é que embora tenham sido feitas em 2004, retratam o estado de espírito das seleções em situações contrastantes, a Espanha campeã do mundo e o Brasil totalmente revirado como se tivesse mesmo sido atingido por um furacão ou um fenômeno nunca antes registrado. No site da NASA, existem imagens sobre as 32 seleções que participaram da copa de 2010, vale a pena uma olhada.

Fonte:

http://www.nasa.gov/externalflash/worldcup2010/

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.