Mono Lake: O Lar do Estranho Micróbio GFAJ-1

Quão estranha uma vida alienígena pode ser? Uma indicação que os elementos fundamentais que compõem  maior parte das formas de vida terrestre podem ser diferentes no universo como um todo foi encontrada no incomum Mono Lake na Califórnia, EUA. Uma bactéria que vive no Mono deu indicativos que não somente pode tolerar uma grande quantidade do arsênio, normalmente tóxico, mas possivelmente usa o arsênio para substituir o fósforo, um dos seis elementos tidos como fundamentais para todas as formas de vida da Terra. O resultado é surpreendente – e talvez controverso – de uma certa forma pois o arsênio incorporado as moléculas orgânicas acredita-se que seja mais frágil do que o fósforo incorporado as moléculas orgânicas. A foto aqui reproduzida mostra o Mono Lake que possui 7.5 quilômetros de largura como é visto desde o Mount Dana, localizado próximo. A imagem em detalhe mostra a incomum bactéria GFAJ-1 que pode ser capaz de sobreviver em um outro mundo.

Fonte:

http://apod.nasa.gov/apod/ap101206.html

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo