fbpx
29 de fevereiro de 2024

Missão WISE da NASA Faz Imagem da Nebulosa da Coroa de Flores


A NASA com seus satélites espalhados pelo espaço e captando as imagens mais sensacionais, consegue, se quiser a cada minuto gerar um cartão postal de fim de ano mais lindo do que o outro. Isso é o que acontece nessa imagem feita pela missão Wide-field Infrared Surevey Explorer, ou WISE da NASA. Na foto acima a missão apresenta a chamada Nebulosa da Coroa de Flores. Apesar desse não ser o seu nome oficial, ela na verdade é chamada de Barnard 3 ou IRAS Ring G159.6-18.5, é fácil identificar na imagem uma coroa de flores nas nuvens brilhantes em verde e vermelho – um anel de verde vestido com um laço festivo vermelho, um ramo de arbusto elegante e sinos prateados. Nuvens interestelares como essa são verdadeiros berçários cósmicos, locais onde estrelas bebês estão nascendo.

O anel verde é feito de pequenas partículas de poeira quente que tem composição semelhante à névoa encontrada na Terra. A nuvem vermelha, no meio é provavelmente feita de poeira que é mais metálica e mais fria do que as regiões ao redor. A brilhante estrela no meio da nuvem vermelha, chamada de HD 278942, é tão luminosa que ela é provavelmente o que faz com que o anel ao redor brilhe. De fato, ventos estelares poderosos são os responsáveis por limpar a poeira quente ao redor e criar a forma anelada da feição em primeiro lugar. A região que brilha intensamente na cor amarelo-esverdeado, à esquerda do centro é similar ao anel, apesar de ser mais denso. As estrelas brancas-azuladas dispersas através da cena estão localizadas tanto na frente como além da nebulosa.

Regiões similares à Nebulosa da Coroa de Flores são encontradas perto da banda da Via Láctea no céu noturno. A Nebulosa da Corao de Flores está um pouco afastada dessa banda, perto da borda entre a constelação de Perseus e Taurus, mas ela está localizada relativamente próxima da Terra a aproximadamente 1000 anos-luz, a nuvem ainda é parte da Via Láctea.

As cores usadas nessa imagem representam comprimentos de onda específicos da luz infravermelha. A cor azul e ciano representa a luz com comprimento de onda de 3.4 e 4.6 mícron emitida predominantemente pelas estrelas. As cores verde e vermelha representam a luz de 12 e 22 mícron respectivamente, emitidas preferencialmente pela poeira.

Fonte:

http://wise.ssl.berkeley.edu/gallery_Barnard3.html


Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo