Meteoro Sobre Os Telescópios do ESO no Chile

Esta Fotografia da Semana mostra dois dos três novos telescópios ExTrA instalados no Observatório de La Silla do ESO, no Chile. Localizados a mais de 2000 metros acima do nível do mar, estes telescópios percorrem os céus em busca de mundos do tamanho da Terra em órbita de estrelas do tipo M, que são menores que o Sol. 

Uma “estrela cadente” brilha no céu noturno acima dos telescópios, se deslocando na direção do horizonte do deserto chileno do Atacama. As estrelas cadentes não são na realidade estrelas, mas sim pequenos pedaços de rochas ou poeira que entram na órbita terrestre e se incandescem na atmosfera durante a sua descida. Antes de entrarem na atmosfera da Terra, esses minúsculos corpos celestes são chamados meteoroides.

Os intensos riscos de luz causados pelos meteoroides se incandescendo não são só bonitos e emocionantes, são também informativos. Os cientistas estudam o percurso e brilho dos meteoroides para determinar de que parte do Sistema Solar eles vêm e qual a sua composição. Um meteoroide que consegue atravessar a atmosfera terrestre chegando até o solo recebe o nome de meteorito. Os cientistas podem estudar meteoritos para saber mais sobre a história do Sistema Solar.

Crédito:

ESO/M. Zamani

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo