Mars Odyssey Continua Estudando a Temperatura de Fobos

Novas imagens térmicas mostram aspectos interessantes do satélite natural Fobos de Marte.

A sonda da NASA, Mars Odyssey, que está orbitando o Planeta Vermelho desde 2001, usou sua câmera infravermelha para medir a variação de temperatura em Fobos, que tem 25 quilômetros de diâmetro em 3 diferentes estágios de iluminação.

Uma imagem capturada em 9 de dezembro de 2019 mostra Fobos totalmente iluminado pela luz do Sol, com uma temperatura máxima medida de 27 graus Celsius. Uma segunda imagem, feita no dia 25 de fevereiro de 2020 quando o satélite estava totalmente eclipsado, ou seja, na sombra de Marte, indicou uma temperatura de -123 graus Celsius, que está entre algumas das temperaturas mais baixas já registradas em Fobos.

A terceira imagem foi feita no dia 27 de março de 2020, quando Fobos estava saindo da sombra de Marte, e a temperatura registrada estava entre os dois extremos medidos anteriormente.

Muitas informações sobre o satélite, que é bem pouco estudado, digam-se de passagem, podem surgir a partir das imagens térmicas, feitas pela sonda da NASA.

Essas observações estão ajudando a caracterizar a composição de Fobos. Futuras observações fornecerão uma imagem mais completa das temperaturas extremas na superfície do satélite.

Uma imagem mais completa, pode, por sua vez, ajudar os astrônomos a entender melhor a história tanto de Fobos, como de Deimos, o outro pequeno e irregular satélite de Marte. Deimos tem 13 km de diâmetro. Alguns cientistas acreditam que os satélites são asteroides capturados, mas outros argumentam que eles se formaram a partir de material que se aglutinou a partir de detritos que escaparam de Marte após um grande impacto.

Só para lembrar, a câmera da Mars Odyssey, se chama THEMIS, que significa, Thermal Emission Imaging System, algo como, Sistema de Imageamento Por Emissão Térmica, assim sendo, essas imagens não mostram Fobos como ele apareceria ao olho humano.

Todas as imagens da THEMIS infravermelhas são coloridas para mostrar as variações da temperatura e são então sobrepostas à imagens feitas na luz visível no mesmo momento para mostrar a geologia da superfície do satélite ou do próprio planeta. A única exceção nessas imagens feitas, é a imagem do satélite totalmente eclipsado, que foi gerado por simulações computacionais e mostra Fobos, com se ele não estivesse totalmente mergulhado na sombra de Marte.

A sonda Mars Odyssey tem como objetivo primário estudar a superfície de Marte. Mas a sonda também vem estudando Fobos nos últimos anos. Algo que não é fácil e nem trivial de ser feito, pois a sonda precisa ser manobrada e ficar praticamente de ponta cabeça para fazer essas imagens.

Apesar da sonda Mars Odyssey estar saudável, não é claro quanto tempo o orbitador continuará fazendo o seu trabalho, que além de fazer imagens, também envolve ajudar na transmissão de dados entre Marte e a Terra, para os rovers e landers na superfície de Marte. O grande problema de manter uma sonda na órbita de outro planeta é que você precisa de toda uma infraestrutura em Terra, e no orçamento da NASA para 2021, foi alocado 1 milhão de dólares para a sonda, o que representou um corte de 90% em relação ao orçamento anterior, e isso aí pode decretar o final da missão da sonda Mars Odyssey.

Estudo anterior da temperatura de Fobos feito pela sonda Mars Odyssey – https://spacetoday.com.br/mars-odyssey-mede-a-temperatura-do-satelite-marciano-phobos/

Fonte:

https://www.jpl.nasa.gov/news/news.php?feature=7674

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo