fbpx
17 de setembro de 2021

Mais Um Vulcão Na Islândia Entra Em Erupção: Agora é a Vez do Grímsvötn

Aproximadamente 14 meses depois do vulcão Eyjafjallajökull voltar a vida, outro vulcão da Islândia começou a expelir cinza e poeira. Por volta das 17:30 UTC do dia 21 de Maio de 2011, o vulcão Grímsvötn entrou em erupção, relatou o Icelandic Met Office. O vulcão enviou uma pluma de cinza vulcânica e gás a uma altura de mais ou menos 20 km acima do nível do mar. Durante a noite a altura da pluma reduziu para 15 km mas pouco depois voltou a se aproximar novamente de sua altitude anterior.

O instrumento Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer (MODIS) a bordo do satélite Terra da NASA capturou essa imagem em cor natural as 13:00 UTC do dia 22 de Maio de 2011, o mesmo instrumento MODIS só que no satélite Aqua da NASA capturou outra imagem do vulcão 8 horas antes.

Acima do cume do Grímsvötn, a cinza vulcânica forma uma pluma quase que circular que chega a ficar mais alta que as nuvens. Na parte sudeste a cinza colore a superfície coberta de neve de marrom escuro. A cinza do vulcão reduziu a visibilidade para 50 metros em alguns lugares. A Iceland Review Online relatou que a cinza do vulcão fez com que algumas regiões ficassem escuras como a noite em plena luz do dia. A pluma de cinza do vulcão também fechou prontamente o aeroporto Jeflavik, o maior aeroporto da Islândia.

A pluma inicial do Grímsvötn foi maior que a do Eyjafjallajökull, que atingiu 8 km de altura. Apesar de ter a pluma mais alta, espera-se que a erupção do Grímsvötn afete menos os voos transatlânticos do que afetou o Eyjafjallajökull, pelo menos nas primeiras 24 horas. A cinza do Grímsvötn está prevista para viajar para o nordeste. Em adição a isso a cinza contém partículas mais grossas e assim é menos provável que ela se mantenha no ar por muito tempo. Alguns modelos de cinza vulcânica, contudo, sugerem que a cinza do Grímsvötn poderia interferir nos voos no Reino Unido e na Irlanda a partir do dia 24 de Maio de 2011.

Plumas vulcânicas podem produzir raios, e a pluma do vulcão Grímsvötn produziu intensa tempestade com raios. No pico da tempestade foram produzidos 1000 vezes mais raios por hora do que durante a erupção do Eyjafjallajökull.

A maior parte do vulcão Grímsvötn está embaixo da Geleira Vatnajökull. Consequentemente quando o vulcão iniciou sua erupção, ela foi subglacial. Esse tipo de erupção pode causar inundações pela explosão da geleira, ou jökulhlaups. O Icelandic Met Office relatou que pelo fato de uma explosão e inundação desse tipo ter ocorrido no outono passado, uma grande inundação é pouco provável que ocorra agora novamente.

Volcanic Eruption in Grimsvotn, Iceland May 21 2011 from Jon Gustafsson on Vimeo.

Fontes:

http://earthobservatory.nasa.gov/IOTD/view.php?id=50684

http://skyweek.wordpress.com/2011/05/23/der-ausbruch-des-grimsvotn-aus-dem-orbit/

http://blogs.discovermagazine.com/badastronomy/2011/05/23/volcano-followup-pix-video/

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo