fbpx
29 de fevereiro de 2024

M1: A Nebulosa do Caranguejo Como Observada Pelo Hubble


A imagem acima mostra a confusão deixada para trás quando uma estrela explode. A Nebulosa do Caranguejo, o resultado de uma supernova observada em 1054 DC, é preenchida com misteriosos filamentos. Os filamentos não só são tremendamente complexos, mas parecem ter menos massa do que aquela expelida pela supernova original e uma velocidade maior do que a esperada por uma explosão desse tipo. A imagem acima foi feita pelo Telescópio Espacial Hubble e é apresentada em três cores que possuem um interesse científico. A Nebulosa do Caranguejo se espalha por aproximadamente 10 anos-luz. Bem no centro da nebulosa localiza-se um pulsar, ou seja, uma estrela de nêutrons tão massiva quanto o Sol, mas com o tamanho de uma pequena cidade. O Pulsar do Caranguejo tem uma velocidade de rotação de 30 vezes por secundo.

Fonte:

http://apod.nasa.gov/apod/ap111225.html


Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo