fbpx

LIGO DETECTA MAIS UMA FUSÃO DE ESTRELAS DE NÊUTRONS | SPACE TODAY TV EP2084

ASSISTAM O VÍDEO DA NED:

https://www.youtube.com/watch?v=ocw-R7tHsdU&t=329s

————————————————————————————————————

VISITE A LOJA DO SPACETODAY:

https://www.spacetodaystore.com

————————————————————————————————————

SEJA MEMBRO DO SPACE TODAY E AJUDE COM A CRIAÇÃO DE CONTEÚDO SÉRIA NA ÁREA DE ASTRONOMIA:

https://www.patreon.com/spacetoday

https://apoia.se/spacetoday

https://www.youtube.com/channel/UC_Fk7hHbl7vv_7K8tYqJd5A/join

————————————————————————————————————

ESCUTE O PODCAST HORIZONTE DE EVENTOS – EPISÓDIO DE HOJE – BETELGEUSE

https://soundcloud.com/user-956768544/horizonte-de-eventos-episodio-7-betelgeuse-vai-explodir

————————————————————————————————————

Em 2015, o LIGO entro para história como sendo o primeiro instrumento do mundo a detectar as chamadas ondas gravitacionais.

Quando dois objetos muito massivo no universo, se fundem, através de uma colisão, eles conseguem abalar o tecido do espaço-tempo, e como uma pedra que cai num lago são geradas as ondas gravitacionais.

Essas ondas foram previstas pela teoria da Relatividade Geral de Albert Einstein em 1915, mas somente 100 anos depois tivemos a tecnologia disponível para fazer a detecção.

Objetos como buracos negros de massa estelar, e estrelas de nêutrons estão entre os causadores das ondas gravitacionais.

Em 2017, o LIGO entrou para a história mais uma vez pois conseguiu detectar as ondas gravitacionais provenientes da fusão de duas estrelas de nêutrons.

Num evento chamado de kilonova, além das ondas gravitacionais foi gerada também a sua contrapartida eletromagnética e esse evento pôde e ainda é estudado de forma exaustiva.

Então agora em 2019, aconteceu novamente.

Em Abril de 2019, o LIGO detectou o evento conhecido como GW190425.

Ao estudar o evento, os pesquisadores concluíram que a onda gravitacional era o resultado da fusão de duas estrelas de nêutrons.

Porém dessa vez muita coisa aconteceu.

Primeiro, só um dos detectores do LIGO registrou o evento, pois o outro estava em manutenção, e o evento foi muito fraco para ter sido registrado pelo VIRGO, o companheiro do LIGO na busca pelas ondas gravitacionais.

O evento aconteceu a mais de 500 milhões de anos-luz de distância da Terra, e como os outros detectores não participaram da detecção é praticamente impossível identificar a sua origem.

A massa combinada dos corpos que se fundiram e geraram esse evento de onda gravitacional é de cerca de 3.4 vezes a massa do Sol.

Isso é impressionante, pois na nossa galáxia, nós só conhecemos estrelas de nêutrons com massas somadas de 2.9 vezes a massa do Sol.

Uma possibilidade é que tenha sido a fusão de uma estrela de nêutrons com um buraco negro.

Mas aí, no caso de um buraco negro, ele seria muito pequeno, então a maior probabilidade é que seja mesmo a fusão de duas estrelas de nêutrons.

As estrelas de nêutrons podem se formar como sendo o caroço após a explosão de uma supernova que acaba com uma estrela mais massiva que o Sol, ou pode surgir da fusão de duas estrelas de nêutrons.

Nesse caso não dá para saber o que é.

MAs o importante é mais uma detecção desse tipo e assim irmos entendendo cada um desses eventos que acontecem no universo.

Fonte:

https://phys.org/news/2020-01-ligo-virgo-gravitational-network-neutron-star.html

#LIGO #GravitationalWave #NeutronStar #SpaceToday

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .